Meteorologia

  • 30 SETEMBRO 2020
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 25º

Edição

"Sou mais um jogador de fazer assistências do que uma máquina goleadora"

O extremo do Real Madrid falou sobre o regresso da Liga dos Campeões.

"Sou mais um jogador de fazer assistências do que uma máquina goleadora"

Eden Hazard, do Real Madrid, concedeu uma entrevista ao portal da UEFA na qual abordou o regresso da Liga dos Campeões já esta semana, competição na qual os merengues vão defrontar o Manchester City nos quartos de final.

O extremo belga falou sobre os seus golos preferidos na competição explicou por que é mais um "jogador de fazer assistências do que uma máquina goleadora".

"Nem acredito que a Liga dos Campeões está de volta. Penso que o mundo, as pessoas, precisam de ver futebol. Traz felicidade e é por causa disso que todos gostamos de futebol. Estamos há meses sem a Champions League, sem este nível de jogos", começou por dizer o jogador do Real Madrid.

Questionado sobre se prefere marcar golos ou fazer assistência, Hazard foi peremptório na resposta.

"O sentimento é o mesmo quando vemos a bola no fundo das redes. Na minha cabeça, não estou apenas a pensar em marcar golos. Alguns jogadores agora só pensam em marcar golos. E eu? Eu sou mais o tipo de jogador que pode criar algo. É por isso que gosto de dizer que sou mais um jogador de fazer assistências do que uma máquina goleadora. Prefiro fazer assistências, mas também gosto da sensação de marcar um golo bonito, um golo nos últimos momentos e vencer o jogo", atirou.

Hazard escolheu ainda qual foi o seu golo favorito na competição e o melhor que já viu na prova milionária.

"É fácil, porque não marquei muitos, mas penso que meu primeiro golo [Schalke 0-3 Chelsea, 2013]. O primeiro é sempre especial. Marcar fora num jogo grande, fizemos uma partida fantástica. Poderia e deveria ter passado a bola ao Fernando Torres, mas tentei e tive sorte porque ela entrou. É por isso que é o meu favorito. Acho que ele [Fernando Torres] estava à espera de fazer o seu "hat-trick", por isso fui o culpado de isso não acontecer", sublinhou.

"O golo do Cristiano [Ronaldo], há dois anos, contra a Juventus [1ª mão dos quartos-de-final, 2018]. Estava em frente à minha televisão e disse: "Uau! Que golo!" O do Gareth Bale também, frente ao Liverpool, na final [de 2018]", finalizou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório