Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Miguel Oliveira: Boa época terminou com lesão e polémica... por explicar

Piloto português terminou a sua primeira temporada de MotoGP no paddock, a assistir ao Grande Prémio de Valência, devido a uma lesão que o atirou para a sala de operações. Quanto a resultados, Oliveira acabou o Mundial no 17.º lugar, com 33 pontos.

Miguel Oliveira: Boa época terminou com lesão e polémica... por explicar

Terminou a temporada de 2019 no MotoGP com o 'rei' do costume. Marc Márquez dominou por completo esta época e não só se tornou campeão mundial pela sexta vez como, praticamente sozinho, ofereceu o título de equipas à Repsol Honda. Basta dizer que ao longo de uma época inteira, o pior resultado do espanhol foi um… segundo lugar – salvo a única desistência no Grande Prémio dos EUA.

Mas falemos do ‘nosso’ Miguel Oliveira. No seu primeiro ano na categoria rainha do motociclismo ao serviço da Red Bull KTM Tech 3, o piloto português foi consistente, alcançou alguns resultados satisfatórios e, por vezes, até bateu os pilotos de fábrica, Pol Espargaró e Johann Zarco.

O objetivo de Oliveira foi sempre andar em zona pontual, ou seja, procurar um lugar em corrida acima do 15.º posto. Conseguiu esse objetivo em nove das 16 corridas que disputou e o seu melhor resultado em 2019 foi um oitavo lugar no Grande Prémio da Áustria.

Pode dizer-se que foi um ano positivo para o Miguel Oliveira, mas que, apesar dos bons resultados, não terminou da melhor maneira. O jovem de 24 anos caiu em Silverstone, no Grande Prémio da Grã-Bretanha, e lesionou-se no ombro. Uma lesão que acabou por levar o português à sala de operações. Antes disso, na Austrália, uma queda violenta fê-lo também falhar a antepenúltima corrida da época. Feitas as contas, Miguel Oliveira falhou as últimas três provas da época e terminou assim  o Mundial de MotoGP no 17.º lugar com 33 pontos.

A lesão e a polémica que ficou por explicar

Uma das quedas mais aparatosas da época pertenceu a Miguel Oliveira nos treinos livres para o Grande Prémio da Austrália. Mais tarde, o piloto da Red Bull KTM Tech 3 teve de ser submetido a uma intervenção cirúrgica, mas ficou provado que a operação ao ombro não teve diretamente relacionada com essa violenta queda.

Foi precisamente no circuito de Silverstone, na Grã-Bretanha, que Zarco embateu em Miguel Oliveira e que atirou o português para fora da corrida. Uma queda que se revelou letal para as aspirações do piloto da Tech 3, uma vez que o ombro de Miguel Oliveira nunca chegou a ficar nas melhores condições e a operação foi a melhor solução para debelar o problema.

Como se a lesão não bastasse, Oliveira viu-se envolvido numa polémica relacionada com a sua equipa. A KTM escolheu para piloto principal Brad Brinder, piloto de Moto2 com a mesma idade de Oliveira, e o português pareceu não gostar da decisão. Em declarações à imprensa, o jovem natural de Almada afirmou não entender a escolha da KTM.

"Se fosse o Mika [Kallio], estaria tudo bem para mim, porque construí uma relação muito boa com a equipa [Tech 3] e não faria sentido a mudança. Mas escolher um 'rookie' e um tipo com a mesma idade que eu faz-me sentir que não sou bom o suficiente para cá estar. Mas é a decisão deles, respeito-a e não mudará nada no meu foco em estar cá e dar o melhor", disse Miguel Oliveira.

Porém, a KTM apresentou outra versão e o chefe de equipa afirmou que tinha falado com o português e que ele tinha transmitido que preferia ficar na formação satélite, a Tech 3.

A história assim ficou e acabou por não se desvendar qual das versões bateria certo com a verdade dos factos. O que neste caso se sabe é que em 2020 Brad Binder vai ser companheiro de Pol Espargaró na KTM oficial, e Miguel Oliveira fará dupla com o espanhol Iker Lecuona na Tech 3.

Previsões para 2020

No seu segundo ano no MotoGP, Miguel Oliveira terá mais responsabilidade. Estará sempre dependente daquilo que a KTM lhe oferecer, mas se as promessas forem cumpridas, a Tech 3 terá uma moto com todas as atualizações da equipa de fábrica.

O português vai entrar no último ano de contrato e terá de provar que merece estar entre os grandes do motociclismo. Ser português nem sempre é fácil no meio de tantos jogos de bastidores, mas se a qualidade ficar demonstrada em pista, certamente que Miguel Oliveira continuará a obter bons resultados e, quem sabe, sonhar com outros patamares no MotoGP.

Resultados de Miguel Oliveira em 2019

GP do Qatar GP da Argentina GP das Américas GP de Espanha GP de França GP de Itália GP da Catalunha GP da Holanda GP da Alemanha GP da República Checa
0 pontos 5 pontos - 11.º lugar 2 pontos - 14. lugar 0 pontos 1 ponto - 15.º lugar 0 pontos 4 pontos - 12.º lugar 3 pontos - 13.º lugar 0 pontos 3 pontos - 13.º lugar
                   
GP da Áustria GP da Grâ-Bretanha GP de São Marino GP de Aragão GP da Tailãndia GP do Japão GP da Austrália GP da Malásia GP de Valência  
8 pontos - 8.º lugar 0 pontos 0 pontos 3 pontos - 13.º lugar 0 pontos 4 pontos - 12.º lugar Não participou Não participou Não participou  

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório