Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 24º

São Carlos com ópera 'Os Dias Levantados' e Requiem de Lopes-Graça

A ópera 'Os Dias Levantados', de António Pinho Vargas, volta ao Teatro Nacional S. Carlos, em Lisboa, no âmbito das celebrações do 25 de Abril, que incluem a apresentação do Requiem pelas vítimas do Fascismo em Portugal de Lopes-Graça.

São Carlos com ópera 'Os Dias Levantados' e Requiem de Lopes-Graça
Notícias ao Minuto

20:00 - 02/04/24 por Lusa

Cultura Teatro

O Teatro Nacional de S. Carlos (TNSC), em Lisboa, anunciou hoje a sua programação especial no âmbito dos "50 anos da revolução que nos trouxe a Liberdade e que iniciou um caminho de profundas transformações económicas, sociais e culturais no nosso país", lê-se no comunicado.

Além da ópera de António Pinho Vargas, que volta, em junho, ao palco lírico lisboeta, onde se estreou em 1998, o TNSC tem previsto apresentar, no Centro Cultural de Belém (CCB), também em Lisboa, no dia 28 o Requiem pelas vítimas do Fascismo em Portugal (1981), de Fernando Lopes-Graça (1906-1994).

O Requiem, pelo Coro do TNSC, vai ter como solistas a soprano Bárbara Barradas, a meio-soprano Cátia Moreso, o tenor Carlos Cardoso e os barítonos Luís Cansino e Oliver Zwarg, acompanhados pela Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP). A direção musical estará a cargo do maestro Antonio Pirolli.

O TNSC adiantou que na plateia do grande auditório do CCB estarão antigos presos políticos, referindo ainda que o concerto será transmitido pela RTP.

A ópera de Pinho Vargas com libreto de Manuel Gusmão (1945-2023) é apresentada em versão concerto, no TNSC, sob a direção musical do maestro Pedro Amaral.

O elenco é composto pelas sopranos Eduardo Melo, Sara Braga Simões e Sílvia Sequeira, o contratenor Rui Vieira, os tenores Leonel Pinheiro e Jorge Vaz de Carvalho, e os barítonos José Corvelo e Luís Rodrigues, e ainda o Coro do TNSC e a OSP.

"Os Dias Levantados", uma das quatro óperas compostas por António Pinho Vargas, é "a mais importante obra musical dedicada ao 25 de Abril", realçou o TNSC.

Ainda no âmbito do Cinquentenário da Revolução, o TNSC em parceria com a Imprensa Nacional, tem previsto a publicação, em três volumes, das partituras das Canções para piano, de Lopes-Graça, com edição crítica do maestro João Paulo Santos.

Fernando Lopes Graça, natural de Tomar, é um dos mais reconhecidos compositores portugueses do século XX, tendo-se destacado pelo desenvolvimento de uma intensa atividade cultural, artística, pedagógica e cívica.

Como compositor, criou uma extensa obra que percorre vários géneros musicais e lhe mereceu reconhecimento nacional e internacional.

Fundou e dirigiu durante mais de 40 anos o Coro da Academia de Amadores de Música, para o qual escreveu centenas de arranjos de canções tradicionais, grande parte das quais recuperada à tradição oral, em viagens pelo "Portugal profundo", numa colaboração com o etnólogo Michel Giacometti (1929-1990).

Opositor ao Estado Novo, Lopes-Graça foi preso, exilado, destituído das suas funções de docente e até a sua música esteve proibida nas décadas de 1950 e 1960. Só no princípio da década de 1970 a sua música voltou a ser ouvida no Teatro de São Carlos.

Na década de 1980 recebeu diversas condecorações do Estado português.

"Este primeiro conjunto de iniciativas não é exaustivo, nem se esgota neste ano de 2024 uma vez que, recordamos, o programa oficial se prolonga até 2026", lembrou o TNSC.

Leia Também: Slow J e Pedro Mafama são os mais nomeados nos PLAY

Recomendados para si

;
Campo obrigatório