Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 25º

No Maka. A "complexidade da perda" e a "importância de aceitar"

Os No Maka são concorrentes do Festival da Canção de 2024 e sobem ao palco já no próximo sábado, dia 2 de março.

No Maka. A "complexidade da perda" e a "importância de aceitar"

A 58.ª edição do Festival da Canção já começou e no próximo sábado, dia 2 de março, decorre a segunda semifinal. No total, são 20 os concorrentes a querer representar Portugal na Eurovisão, em Malmö, na Suécia.

O Notícias ao Minuto falou com todos os artistas em competição, entre os quais estão os No Maka.

Emanuel Oliveira e Duarte Carvalho formam o projeto No Maka e com Ana Maria levam 'Aceitar' ao Festival da Canção.

A dupla conta já com mais de 10 anos de carreira e "depois de vários anos a percorrerem os palcos como DJs, os No Maka apresentam-se agora num formato inesperado: uma banda ao vivo composta por teclados, guitarra elétrica, bateria e voz", conta a RTP. 

Ao longo dos últimos anos, já acumularam discos de ouro, platina e dupla platina. Em 2019, Madonna incluiu uma versão do 'hit' 'Faz Gostoso', produzido pela dupla, no seu álbum 'Madame X'. Além de 'Faz Gostoso', os No Maka são ainda responsáveis por sucessos como 'Sextou' ou 'Só Love'.

Porque é que quiseram participar no Festival da Canção?

Como compositores que somos, fazer parte deste festival é verdadeiramente uma honra para nós. O Festival da Canção tem apresentado tantos artistas icónicos e artistas que profundamente admiramos ao longo dos anos. A oportunidade de nos juntarmos às fileiras destes participantes é algo que sempre aspirámos. Este ano, com aquela que acreditamos ser a canção certa em mãos e um sentimento de prontidão para partilhar a nossa música numa plataforma tão prestigiada, sentimos que era o momento perfeito para aceitar o convite. Participar no Festival da Canção representa não apenas um marco nas nossas carreiras, mas também a possibilidade de contribuir para a rica história deste festival com a nossa própria criação.

Já eram fãs do Festival da Canção? E da Eurovisão?  

Sim, sempre fomos fãs tanto do Festival da Canção como da Eurovisão. São eventos que celebram a diversidade musical e a capacidade de unir pessoas através da música, valores com os quais nos identificamos profundamente. 

Qual é para vocês a melhor música de sempre do Festival da Canção?

Escolher a melhor música de sempre do Festival da Canção é uma tarefa difícil, dada a quantidade de obras incríveis que este festival já nos deu. Para mim, Duarte, provavelmente é 'A Cidade (até ser dia)' da Anabela, uma música que sempre me tocou pela sua melodia e emoção.

Para o Emanuel, é 'Saudade, Saudade' da Maro, uma canção que ressoa profundamente pela sua simplicidade e profundidade emocional. Ambas representam, para nós, o espírito do Festival da Canção: a capacidade de evocar emoções fortes e criar momentos memoráveis através da música.

Que mensagem transmite a música 'Aceitar'?

'Aceitar' é uma música que mergulha na complexidade da perda, abordando tanto a perda de pessoas queridas, como momentos importantes ou fases da vida que se encerram. A mensagem central da canção é a importância de aceitar estas perdas como parte integrante da nossa jornada pela vida. Reflete sobre como a nossa abordagem às perdas molda a nossa experiência de viver, sublinhando a necessidade de saber lidar tanto com a perda daquilo que nos é precioso, como daquilo que não nos acrescenta valor. A saudade do que perdemos é um sentimento que, embora nos faça lembrar do que foi perdido, também nos ensina que aceitar é um passo fundamental para podermos avançar.

Conseguem levantar um pouco o véu de como será a atuação?

Estamos a dedicar-nos intensamente à preparação da nossa atuação no Festival da Canção, plenamente cientes de que o momento em palco é determinante e de extrema importância para o impacto que queremos criar. Sem revelar demasiado, podemos dizer que vamos dar tudo o que temos, com o objetivo de tocar as pessoas e emocioná-las profundamente. Se conseguirmos que as pessoas nos levem nas suas memórias e se sintam tocadas pela nossa atuação, para nós isso já será uma grande vitória. A nossa intenção é deixar uma marca duradoura, que ressoe com o público muito depois de o festival terminar.

Como estão a correr os ensaios? Com que frequência ensaiam?

Os ensaios têm corrido muito bem, apesar de termos de nos organizar considerando a distância entre nós. A Maria, sendo de Leiria e estando em Coimbra, eu, Duarte, de Alenquer, e o Emanuel, de Lisboa, conseguimos juntar-nos pelo menos uma vez por semana para ensaiar. Estamos muito comprometidos em garantir que a nossa atuação seja a melhor possível e, sobretudo, ansiosos que chegue o dia de subirmos ao palco. Apesar dos desafios logísticos, o nosso entusiasmo e a vontade de partilhar 'Aceitar' com o público superam qualquer obstáculo.

De que forma olham para as restantes canções e intérpretes desta edição do Festival?

Todas as canções e intérpretes desta edição do Festival, são a prova viva de que em Portugal se faz música ao mais alto nível. É uma honra enorme partilhar esta aventura com tantos artistas incríveis. Muitos deles já conhecíamos e admirávamos muito, enquanto outros não conhecíamos, mas estamos a adorar descobrir. Sentimos, acima de tudo, uma grande responsabilidade em estar aqui, conscientes do peso de todos os artistas que nos antecederam em outras edições. Este festival não é apenas uma competição, mas uma celebração da diversidade e da riqueza musical portuguesa, e estar inseridos neste contexto é algo que nos enche de orgulho e motivação para dar o nosso melhor.

Quais são as vossas expetativas face à participação no Festival da Canção? O que seria um bom resultado?

As nossas expectativas, antes de mais, são partilhar a nossa música e mensagem com o maior número de pessoas possível. Claro que a ideia de ganhar e ter a oportunidade de representar Portugal na Eurovisão é um sonho para nós. No entanto, mais importante do que isso, queremos que a nossa participação no Festival da Canção seja memorável e positiva. Acreditamos profundamente na nossa canção 'Aceitar' e na nossa performance, e sentimo-nos já vencedores pelo incrível apoio e amor que temos recebido. Para nós, um bom resultado seria sentir que conseguimos tocar o coração das pessoas e deixar uma marca positiva, independentemente da classificação final. Estamos aqui para partilhar a nossa arte e, acima de tudo, celebrar a música com todos os que nos acompanham.

Depois da participação no Festival da Canção, o que se segue? 

Depois da participação no Festival da Canção, temos já muitos planos emocionantes pela frente. Muita música nova pronta para ser lançada, incluindo colaborações que realmente nos enchem de orgulho. Além disso, uma das nossas prioridades já para este ano é atuar em vários palcos, apresentando o nosso projeto em formato de banda, depois de tantos anos a atuarmos principalmente como DJs. Este é um passo importante para nós, pois permite-nos mostrar uma faceta diferente da nossa música e criar uma conexão ainda mais forte com o público. Estamos ansiosos!

Que portas é que acham que o Festival da Canção pode abrir para o vosso futuro?

Acreditamos que a nossa participação no Festival da Canção nos vai abrir várias portas e permitir chegar a um novo público e a novas pessoas; aliás, isso já está a acontecer. Diariamente recebemos várias mensagens de fãs do Festival que nos apoiam e partilham a nossa música por todo o lado. Receber todo este amor faz-nos sentir já vencedores. Queremos também aproveitar a oportunidade para lhes dizer: A melhor parte desta incrível jornada, sem dúvida, são vocês. Obrigado por serem uma parte tão integral da nossa viagem. Estamos ansiosos pelas oportunidades que nos esperam após o festival, convencidos de que vamos continuar a crescer e a alcançar cada vez mais ouvintes com a nossa música.

Leia Também: Já se sabe em que dia é que Portugal sobe ao palco da Eurovisão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório