Meteorologia

  • 01 MARçO 2024
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 15º

Venda de bilhetes para espetáculos em 2022 supera números pré-pandemia 

No ano passado foram realizadas 41.388 sessões de espetáculos ao vivo, mais 16.919 do que em 2021.

Venda de bilhetes para espetáculos em 2022 supera números pré-pandemia 
Notícias ao Minuto

11:59 - 07/12/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

Cultura INE

Os espetáculos ao vivo registaram uma "grande recuperação" durante o ano de 2022, com "número de sessões, bilhetes vendidos e receitas superiores às dos anos pré-pandémicos", revelou, esta quinta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

No ano passado, segundo o INE, foram realizadas 41.388 sessões de espetáculos ao vivo, mais 16.919 do que em 2021.

"Estas foram assistidas por 14,9 milhões de espectadores (3,6 milhões em 2021) e corresponderam a 6,6 milhões de bilhetes pagos (2,0 milhões em 2021) que geraram 147,3 milhões de euros de receitas de bilheteira (28,0 milhões em 2021)", indicou o INE.

Já os museus registaram 15,8 milhões de visitantes (mais 8,3 milhões do que em 2021). Do total de visitantes, 7,7 eram estrangeiros (mais 4,8 milhões).

No cinema, há registo de 9,6 milhões de espectadores em 2022, um aumento de 75,4% face a 2021, com 55,4 milhões de euros de receitas de bilheteira (+80,9%).

No entanto, a participação cultural diminuiu em 2022 face a 2016, "com exceção da leitura de livros", onde a proporção de residentes dos 18 aos 69 anos que indicou ter lido livros nos últimos 12 meses aumentou de 38,8% para 41,3%. 

Segundo os dados do INE, analisados pela Lusa, a receita de bilheteira de espetáculos ao vivo representa o maior valor desde 1979.

Em 2019, antes da pandemia da Covid-19, os valores situaram-se em 16,9 milhões de espectadores e 125,3 milhões de euros de receitas.

Numa análise alargada dos dados, os 147,3 milhões de euros de receita registados em 2022 representam o maior valor gerado em espetáculos ao vivo em Portugal desde 1979.

Há ainda a sublinhar que o preço médio dos bilhetes para os espetáculos ao vivo atingiu os 22,2 euros em 2022, ou seja, oito euros mais caro do que em 2021.

Os concertos de pop/rock foram os que tiveram preço de bilhete mais elevado (em média 35,2 euros) e os espetáculos de circo os mais baratos (em média 5,2 euros).

Em 2019, antes da pandemia da covid-19, o preço médio de um bilhete para um espetáculo ao vivo (música, teatro, dança, entre outros) foi de 20,8 euros.

[Notícia atualizada às 12h41]

Leia Também: Ministro espera que próximo Governo retome intenção de comprar a Lusa

Recomendados para si

;
Campo obrigatório