Meteorologia

  • 25 MAIO 2022
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 26º

Exposição 'In Conflict' inaugurada em Lisboa

A exposição 'In Conflict', que representou Portugal na Bienal de Arquitetura de Veneza em 2021, revisitando uma seleção de processos da arquitetura portuguesa pós-25 de Abril, é inaugurada em 04 de fevereiro, no Palácio Sinel de Cordes, em Lisboa.

Exposição 'In Conflict' inaugurada em Lisboa
Notícias ao Minuto

11:54 - 28/01/22 por Lusa

Cultura Exposição

A exposição, que esteve patente no Palazzo Giustinian Lolin, entre maio e novembro do ano passado, na 17.ª Exposição Internacional de Arquitetura de Veneza, resulta de uma coprodução do coletivo depA, do Porto, com a Trienal de Arquitectura de Lisboa.

Conta ainda com o apoio da Direção-geral das Artes (DGartes), comissária da representação portuguesa na Bienal de Veneza de arquitetura.

Pela primeira vez apresentada em Portugal, os conteúdos que ficarão expostos no Palácio Sinel de Cordes até ao dia 30 de abril dão conta de sete processos mediáticos marcados por destruição material, deslocação social ou participação popular.

Ao longo das salas do Palácio, "cada peça tridimensional reflete uma visão crítica da arquitetura, enquanto os mosaicos de notícias sintetizam o envolvimento público e televisores transmitem instalações audiovisuais" a partir de material de arquivo da RTP, documentários e curtas-metragens, descreve uma nota da DGArtes sobre a exposição.

Notícias atuais de Portugal foram compiladas e afixadas num painel, "fechando um círculo de 47 anos, um testemunho da democracia que em 1974 enfrentou uma crise habitacional profunda e que hoje encara a persistência de bairros informais, crescimento urbano especulado e desarticulação territorial".

Nos sete núcleos são revisitados, por exemplo, os projetos habitacionais das torres do bairro do Aleixo (Porto), o conjunto habitacional Cinco Dedos em Chelas (Lisboa), o plano de pormenor da Aldeia da Luz, no Alentejo, e a reconstrução de casas destruídas pelos incêndios de 2017 (Figueiró dos Vinhos, Pampilhosa da Serra e Pedrógão Grande).

Com entrada gratuita, a exposição estará aberta ao público às terças e sábados, das 11:00 às 19:00, e de quarta a sexta das 14:00 às 19:00, segundo a organização.

Em março de 2021, após o anúncio da escolha do coletivo depA para representar Portugal, numa entrevista à agência Lusa, os curadores do projeto sublinharam a opção do foco dado à habitação e à dimensão de interesse público da arquitetura, na exposição e vários debates sobre a relação entre a arquitetura portuguesa e as questões de habitação, desde a Revolução de Abril de 1974 até à atualidade.

Mais do que falar dos edifícios dos casos escolhidos, noticiados pelos media, pela sua componente social ou polémica, os curadores do projeto selecionado quiseram abordar os processos e narrativas que representam, sublinharam, na altura, na entrevista.

Os curadores João Crisóstomo, Carlos Azevedo, Luís Sobral, sócios fundadores do ateliê portuense, e Miguel Santos, curador-adjunto do projeto, centraram também o contributo para a Bienal de Arquitetura de Veneza na necessidade de debate das questões da habitação e da arquitetura de uma forma transversal, abrangendo várias áreas da sociedade.

"Partimos do princípio de que, para vivermos em comunidade, para nos entendermos, e para realçar as vantagens do Estado democrático, temos de assumir que as ideias têm de ser debatidas e deve haver espaço para o seu confronto. Esta é a resposta direta à pergunta do curador da Bienal", disse Luís Sobral sobre a designação do projeto, 'In Conflict', cuja tradução que consideram mais certa, em português, é "em confronto".

Hashim Sarkis, curador-geral da 17.ª Exposição Internacional de Arquitetura de Veneza - que decorreu entre os dias 22 de maio a 21 de novembro de 2021 e recebeu 300 mil visitantes -, lançou, como guia para os participantes desta edição, o tema 'How we will live together' ('Como vamos viver juntos', em tradução livre).

Intitulado 'Wetland', o pavilhão dos Emirados Árabes Unidos, com curadoria de Wael Al Awar e Kenichi Teramoto, conquistou nesta edição o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza para as representações nacionais.

Devido à pandemia covid-19, a 17.ª Exposição Internacional de Arquitetura de Veneza, que deveria ter acontecido entre agosto e novembro de 2020, foi adiada para 2021, e, consequentemente, a 59.ª Bienal de Arte passou para 2022.

Leia Também: Contradições e narrativas da Humanidade em exposição no Museu do Chiado

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório