Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2022
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 15º

Cutileiro: Delfim Sardo evoca "escultor fundamental na arte portuguesa"

O ensaísta e curador Delfim Sardo enalteceu João Cutileiro, que morreu hoje, em Lisboa, como tendo sido um "escultor fundamental na arte portuguesa da segunda metade do século XX" e uma influência mobilizadora para uma nova geração de artistas.

Cutileiro: Delfim Sardo evoca "escultor fundamental na arte portuguesa"

"João Cutileiro foi um escultor fundamental na arte portuguesa da segunda metade do século XX. Pertence a uma geração -- era pouco mais novo do que o Jorge Vieira -, mais ou menos a mesma geração de Alberto Carneiro, e que são escultores que mudaram a escultura em Portugal, e que trouxeram consigo uma novo pensamento sobre ao escultura: o volume, o corpo, e até o espaço público", afirmou à Lusa o também professor de História de Arte Contemporânea.

Nesse sentido, Delfim Sardo considera que João Cutileiro foi uma "figura incontornável" na arte portuguesa da segunda metade o século XX.

Por outro lado, foi "muito influente para muitos escultores", sublinhou, lembrando o seu "grande papel como mobilizador de uma nova geração de escultores, que é a geração, por exemplo, de José Pedro Croft, que de alguma maneira começaram a trabalhar sob a influência do João Cutileiro".

Delfim Sardo destacou uma das suas obras, como sendo das mais emblemáticas, considerando que observá-la outra vez, hoje em dia, é a "melhor homenagem" que se pode fazer a João Cutileiro.

Trata-se de uma escultura, em Lagos, que é uma homenagem ao D. Sebastião.

"É uma peça do inicio da década de 1970, uma peça anterior ao 25 de Abril, que tem um sentido de oportunidade enorme: Sendo uma homenagem a um rei, é uma espécie de visão crítica sobre o Portugal do Estado Novo, sobre um país com umas luvas e umas botas pesadas demais para se conseguir mexer, e é uma obra que, de alguma maneira, sintetiza um espírito de uma época, um sentido crítico de uma época, e a oportunidade que a escultura no espaço público pode ter".

O escultor João Cutileiro, que morreu hoje, aos 83 anos, estava internado num hospital de Lisboa com graves problemas do foro respiratório.

João Cutileiro é autor do Monumento ao 25 de Abril, instalado no Parque Eduardo VII, em Lisboa, entre muitas outras obras.

Leia Também: "Com João Cutileiro, a escultura portuguesa tornou-se contemporânea"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório