Meteorologia

  • 07 JULHO 2020
Tempo
34º
MIN 19º MÁX 35º

Edição

Registos escritos de antigos barbeiros retratam cultura de Monção

Histórias escritas num caderno de contas por pai e filho, ambos barbeiros em Monção, deram origem a cinco vídeos sobre a sociedade local, entre final do século XIX e meados do século XX, integrados num projeto municipal hoje divulgado.

Registos escritos de antigos barbeiros retratam cultura de Monção
Notícias ao Minuto

09:50 - 25/06/20 por Lusa

Cultura Monção

Em causa está o projeto "Cultura (des)confinada", que aborda o património, natural e construído, as lendas e curiosidades da época e que visa "reprogramar a cultura do concelho para o formato digital, com o objetivo de continuar a proporcionar conhecimento, arte e informação".

Em comunicado hoje enviado à Lusa, o município do distrito de Viana do Castelo explicou que os "vídeos retratam o cenário de uma barbearia, com duas personagens (Ilídio de Castro e Ricardo de Campos), dando corpo aos escritos dos dois barbeiros, pai e filho, que passavam para o papel, com regularidade, os apontamentos da vida social e cultural de Monção, desde finais do século XIX até meados do século XX".

"António Sá Vieira (1857 - 1938) e Clemente Vieira (1897 - 1979) aliavam o corte de cabelo e aparo da barba com a venda de jornais, transformando a barbearia num espaço muito procurado, onde a informação, o comentário e o debate sobre uma multiplicidade de assuntos, do mais fútil ou mais importante, constituía o dia-a-dia daquele estabelecimento comercial, situado em pleno centro histórico da vila", conta o município.

A iniciativa é apresentada semanalmente, através de uma programação regular na rede social Facebook. São seis séries diferentes, com cinco episódios cada uma, cuja publicação decorre entre hoje e domingo.

Os "escritos de pai e filho foram guardados por Clemente Lira Vieira, filho e neto, também já falecido, tendo sido compilados no livro Cadernos de contas de um barbeiro - Memórias de Monção, de Ernesto Português, publicado em 2010".

Segundo o autor, "nestes cadernos manuscritos o leitor é conduzido pela curiosidade, ética e perspicácia dos autores que, durante várias décadas, investiram um olhar coletivo sobre a sociedade monçanense e o desenvolvimento da sua terra".

Entre os vários apontamentos, no caderno constam "acontecimentos centrais da vila de Monção como a edificação do Palácio da Brejoeira, a chegada do comboio ou o desmantelamento das muralhas para a construção das novas vias rodoviárias".

A "festa da Coca ou da Senhora das Dores, as agruras dos monçanenses na primeira Guerra Mundial, os primórdios do contrabando com a Galiza, onde pereceram muitos monçanenses, afogados no rio Minho ou mortos pelos carabineiros galegos", estão também entre as referências dos dois barbeiros.

"Trata-se de uma encruzilhada virtual onde ninguém se perde e todos se encontram, proporcionando, a cada passo, um enriquecimento pessoal com o que vemos e o que sentimos. No fundo, é uma exploração para fazer com todos os sentidos alerta para receber as sensações mais fantásticas e deliciosas", afirmou o vereador da Cultura, João Oliveira, citado na nota enviada à imprensa.

Após a apresentação, os trabalhos em vídeo ficam disponíveis para visualização no sítio oficial da Câmara de Monção na Internet.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório