Meteorologia

  • 14 NOVEMBRO 2019
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Postais de Berlim servem de base a novo livro do poeta Miguel Cardoso

O poeta Miguel Cardoso, que começa esta terça-feira uma residência literária em Berlim, admite que o novo livro, que vai começar agora a escrever, vai inspirar-se em postais da capital alemã.

Postais de Berlim servem de base a novo livro do poeta Miguel Cardoso
Notícias ao Minuto

09:54 - 14/10/19 por Lusa

Cultura Escritor

Miguel Cardoso foi o autor selecionado para a quarta Bolsa de Residência Literária, levada a cabo pela embaixada de Portugal na Alemanha e o Camões Berlim na área do livro, com a duração de um mês.

"A minha ideia é fazer uma recolha de postais de Berlim. Tanto os que encontramos hoje em dia na rua, como também dos antigos. Quero consultar alguns arquivos, mas também vasculhar em mercados e feiras. O objetivo é fazer uma coleção e depois escolher os que podem servir de mote para a escrita", revelou o poeta em declarações à agência Lusa.

"Quero relacionar os postais com a minha estadia em Berlim, com os passeios que dou, com o estado das ruas agora, comparativamente ao que estão nos postais, e abordar mais especificamente as pessoas que são apanhadas nesses postais", descreveu Miguel Cardoso, acrescentando que escolheu 'Passageiros' como nome provisório do projeto.

"Chamei-lhe passageiros porque essas pessoas, de alguma maneira, estão transportadas pelos postais o que sugere logo uma ideia de viagem (...) A partir daí, não sei exatamente antever o que escreverei sobre eles", confessa o escritor que não sabe ainda se o livro será poesia ou prosa.

Depois dos escritores Patrícia Portela, Rui Cardoso Martins e Isabela Figueiredo, Miguel Cardoso, autor de vários livros de poesia como 'Que se diga que vi como a faca corta' (Mariposa Azual, 2010), 'Pleno Emprego' (Douda Correria, 2013) ou 'Víveres' (Tinta-da-China, 2016) é o escolhido para a Bolsa de Residência Literária de um mês, na cidade de Berlim.

"Era o terceiro ano que concorria, por isso, obviamente, fiquei feliz porque é difícil no quotidiano ter tempo para escrever sobre um tema. Berlim é uma cidade de que gosto bastante, onde tenho alguns amigos. A primeira sensação é de alívio, é uma espécie de intervalo (...), um mês para me dedicar a explorar caminhos que, de outra maneira, não teria tempo", explicou.

Apesar de ser "apenas" um mês, Miguel Cardoso acredita que é tempo suficiente para se "perder".

O período da residência literária coincide com o aniversário dos 30 anos da queda do muro de Berlim, a 9 de novembro.

"Berlim é uma cidade particularmente rica, porque a história está muito presente e há muitas camadas que me interessa explorar. A queda do muro de Berlim é uma delas e, eventualmente, a mais óbvia ou a mais importante, quando olhamos a partir de hoje. Não será um tema à partida, mas entrará naquilo que escrevo", sublinhou.

O poeta chega a Alemanha esta terça-feira, dia 15. A 16, estará presente, pela primeira vez, na Feira do Livro de Frankfurt, a maior do mundo, tendo esta 71.ª edição a Noruega como convidado de honra.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório