Meteorologia

  • 17 JUNHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 20º

Edição

Orquestra Gulbenkian toca 'Missa' em Concertos Participativos

A 'Missa', de Leonard Bernstein, é a obra escolhida para os Concertos Participativos da próxima temporada de Música da Fundação Calouste Gulbenkian, apresentada hoje, em Lisboa.

Orquestra Gulbenkian toca 'Missa' em Concertos Participativos
Notícias ao Minuto

21:42 - 24/05/19 por Lusa

Cultura Gulbenkian

A obra composta para a inauguração do Kennedy Center, em Washington, em 1971, foi a escolhida este ano para mobilizar o público a participar no concerto, num coro de amadores, que atuará com o Coro e a Orquestra Gulbenkian, à semelhança do que aconteceu em anos anteriores, com a oratória 'Messias', de Handel, e o 'Requiem', de Mozart.

A estreia da 'Missa', que combina a liturgia em latim com textos em inglês, de Bernstein, Stephen Schwartz e Paul Simon, ocorreu durante a Guerra do Vietname e a secção 'Dona nobis pacem' ('Dai-nos a Paz'), do 'Agnus Dei', marcou a obra e a sua época.

A interpretação em Lisboa vai ocorrer em novembro, e contar também com a Escola de Jazz do Hot Clube e a Orquestra Geração. A direção será de Clark Rundell.

Quanto aos Concertos de Domingo, com a orquestra, a temporada 2019/2020 prevê a realização simultânea de "pequenas conversas sobre música e ciência", numa parceria com o Instituto Gulbenkian de Ciência.

O primeiro concerto deste ciclo, em novembro, tem a música de Michel Legrand para o filme 'Os Chapéus de Chuva de Cherburgo', de Jacques Demy, dirigida por Pedro Neves.

'O Quebra-Nozes', de Tchaikovsky, com o maestro Paolo Bortolameolli, e 'Danúbio Azul', com o regente Tobias Wogerer, dão mote aos concertos de janeiro e fevereiro.

Em março, o maestro titular da Orquestra Gulbenkian, Lorenzo Viotti, dirige 'Quadros de Uma Exposição', de Mussorgsky, na versão orquestrada por Ravel.

O último Concerto de Domingo da temporada, em maio de 2020, junta o maestro Nuno Coelho e o 'Guia de Orquestra para Jovens', de Benjamin Britten, obra desenvolvida a partir de um tema do compositor barroco Henry Purcell.

Os domingos são também dia dos concertos dos solistas, no Grande Auditório.

No ciclo Cinema e Música, a Orquestra Gulbenkian acompanhará a exibição de 'O Império Contra-Ataca', de George Lucas, com a banda sonora de John Williams tocada ao vivo, assim como a música de 'Fantasia', de Walt Disney, e de 'Serenata à Chuva', da dupla Stanley Donen e Gene Kelly.

O Grande Auditório Gulbenkian retomará igualmente as transmissões da Metropolitan Opera de Nova Iorque, com as principais encenações da temporada: 'Turandot', 'Madama Butterfly' e 'Tosca', de Puccini, 'Manon', de Massenet, 'Akhnaten', de Philip Glass, 'Wozzeck', de Alban Berg, 'Porgy and Bess', de Gershwin, 'Agrippina', de Handel, 'O Navio Fantasma', de Wagner, e 'Maria Stuarda', de Donizzetti.

A ópera também domina o programa da orquestra para o concerto no Vale do Silêncio, em setembro, durante o Festival Lisboa na Rua.

"Jovens músicos em ascensão", entre os quais o acordeonista português João Barradas, dão corpo ao Domingo de Portas Abertas, em fevereiro, no âmbito da iniciativa internacional "Rising Stars".

Em outubro próximo, a Gulbenkian acolherá de novo a fase final do Prémio Jovens Músicos, da Antena2/RTP.

A temporada Gulbenkian de Música 2019/2020 foi apresentada hoje, em Lisboa, com a pianista Maria João Pires, como protagonista, numa residência que prevê três recitais, a realizar de setembro a março.

A programação assinala igualmente os 50 anos de trabalho do maestro Michel Corboz, com o Coro e a Orquestra, e abre as comemorações dos 250 anos do nascimento de Beethoven (1770), em janeiro, com a integral dos 16 quartetos para cordas do compositor.

Os pianistas Mitsuko Uchida, Grigory Sokolov, Nelson Freire, Elisabeth Leonskaja, Mikhail Pletnev e Martha Argerich, os violoncelistas Mischa Maisky e António Meneses, a violinista Isabelle Faust e o maestro Jordi Savall são alguns dos grandes intérpretes esperados.

Os primeiros concertos da temporada estão marcados para 07 e 08 de setembro, no Grande Auditório, com a Orquestra de Jovens Gustav Mahler, mas serão os 150 anos do nascimento do fundador, Calouste Sarkis Gulbenkian, que vão determinar o início da programação regular, em 21 de setembro, com a abertura do ciclo 'Oriente-Ocidente', num diálogo de culturas, a prolongar-se por oito datas, até 18 de novembro.

A programação completa está disponível em gulbenkian.pt/musica.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório