Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2019
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

'Fazer a Festa' vai trazer a memória e o futuro do teatro para a infância

O 38.º festival Fazer a Festa, que começa no dia 28, vai transformar a Quinta da Caverneira, na Maia, num espaço de "memória" e "futuro" do teatro para a infância, revelou hoje o diretor artístico do Teatro Art'Imagem.

'Fazer a Festa' vai trazer a memória e o futuro do teatro para a infância
Notícias ao Minuto

20:00 - 14/05/19 por Lusa

Cultura Maia

"Estamos a tentar criar aqui um observatório do teatro para a infância e juventude. Queremos fazer deste espaço um sítio de memória, mas também do futuro do teatro direcionado ao público jovem e infantil", salientou o diretor artístico do festival, José Leitão.

José Leitão, que falava durante a apresentação do 38.º programa do festival, que decorre de 28 maio a 03 de junho, afirmou que este ano, o Fazer a Festa, à semelhança do que acontecera na 37.ª edição, convida à "reflexão" e à "discussão" daquilo que é o teatro direcionado ao público jovem e infantil em Portugal.

"Além de assistirem às peças, é importante que as pessoas discutam o teatro", afirmou o diretor artístico e fundador do Teatro Art'Imagem, adiantando que o evento conta por isso com dois debates, um no dia 28, às 17:30, direcionado para o "lugar da palavra" no teatro, e outro, no dia 03, às 15:00, em que dois convidados vão fazer uma "reflexão crítica" sobre os espetáculos que foram apresentados durante todo o festival.

O Fazer a Festa, que este ano conta com um orçamento de "cerca de 70 mil euros", arranca às 16:00, no dia 28, com uma exposição para "homenagear" os 40 anos de carreira de José Caldas, autor e encenador brasileiro que exerce há vários anos a sua atividade em Portugal.

Durante o festival, três companhias portuguesas (Teatro do Noroeste-CDV, Fértil Cultural e Quinta Parede) e três companhias espanholas (Karlik Danza Teatro/La Nave del Duende, Fundición de Sevilla & Oriolo e Txo Títele) vão apresentar seis espetáculos com temas e abordagens "contemporâneas".

As peças de teatro têm, durante a semana, hora marcada para as 21:30, horário que, segundo José Leitão, "permite que as crianças venham acompanhadas pelos pais" e, assim, "esclareçam mais facilmente as dúvidas" que surgem ao longo das peças.

Esta edição, que dá seguimento ao "formato" apresentado no ano passado, conta ainda com o lançamento de dois exemplares de "Novos Cadernos Fazer a Festa", uma revista que vai dar a conhecer os "debates e as perspetivas" de diversos aspetos do teatro para os mais novos.

Durante a sessão, José Leitão aproveitou ainda para relembrar como o festival, o terceiro mais antigo do país, se "teve de reinventar" nos últimos anos e "acomodar aquilo que é o panorama teatral" em Portugal.

O festival Fazer a Festa é financiado pela Direção-Geral das Artes (DGArtes), pela Câmara Municipal da Maia e pelo Instituto Português do Desporto e Juventude.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório