Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2018
Tempo
MIN 7º MÁX 7º

Edição

Novo álbum gravado ao vivo de Rogério Charraz editado na sexta-feira

O novo disco de Rogério Charraz, "4.0", que celebra o 40.º aniversário do músico, foi gravado ao vivo no Cinema S. Jorge, em Lisboa, em janeiro último, e é editado na próxima sexta-feira, foi hoje divulgado.

Novo álbum gravado ao vivo de Rogério Charraz editado na sexta-feira
Notícias ao Minuto

21:30 - 15/10/18 por Lusa

Cultura Música

O CD "Ao Vivo no Cinema S. Jorge. Rogério Charraz e Os Irrevogáveis" conta com as participações dos músicos António Caixeiro, Jorge Benvindo, Júlio Resende e Ricardo Ribeiro.

O álbum totaliza 17 temas e do alinhamento fazem partes canções de cada um dos seus trabalhos discográficos: "A Chave", "Espelho" e "Não Tenhas Medo do Escuro", e ainda quatro inéditos.

Sobre os inéditos, o músico disse à agência Lusa que, "coerentemente", as músicas são de sua autoria e, as letras, duas suas e outras duas de José Fialho Gouveia, parceria que se deu a conhecer no mais recente álbum, "Não Tenhas Medo do Escuro", e que "é para continuar".

De "A Chave" (2012), o seu álbum de estreia, recuperou "Grito Vagabundo", "Contra a Dita a Gente Grita", "Guarda o Cheiro para Mim" e "Dança na Praceta". De "Espelho" (2014) Charraz levou para o palco do S. Jorge "Sempre que o Amor Acontece", "Submarino Irrevogável", "Porto Abrigo" e "Se Me Perguntas a mim".

Do álbum "Não Tenhas Medo do Escuro" (2016), Charraz resgatou "Erro no Sistema", "Põe de Lado o GPS", "Medo do Escuro" e "Chuva nos Beirados".

Entre os inéditos cite-se "Deixa o Teu Coração" e "Ninguém Nasce com Mau fado", ambos com letra de José Fialho e música de Charraz, e também "Dá-me Um Sinal" e "O Melhor de Mim", ambos com letra e música de Rogério Charraz.

Charraz é acompanhado pela sua banda, Os Irrevogáveis, que são os músicos Carlos Lopes, no acordeão, Paulo Loureiro, no piano, Jaume Pradas, na percussão, Luís Pinto, no baixo, e João Rato, nas guitarras e teclado.

Questionado sobre a escolha dos convidados, com quem vai fazer duetos, Rogério Charraz explicou à Lusa que teve em conta dois critérios: "Artistas que admiro muito e de quem gosto, verdadeiramente, enquanto artistas", e "pessoas com quem não tivesse feito duetos, apesar de Júlio Resende ter tocado no 'Não Tenhas Medo do Escuro'".

"Outras duas questões que tive em conta: não quis repetir nada que já tivesse feito antes, e quis que [os músicos] viessem de áreas diferentes, pois, quer como compositor, quer como ouvinte, sou muito variado na minha música, não tenho uma só cor, um só tom, um só estilo de música. Gosto de ouvir várias coisas e que a minha música reflita isso também. Daí vir alguém mais ligado ao jazz, outra ao fado, outra à música popular e outra aos 'cantautores'", afirmou.

O pianista Júlio Resende, por exemplo, vai tocar um tema com Rogério Charraz e vai acompanhar a canção, cuja interpretação Charraz partilha com Ricardo Ribeiro, "Deixa o Teu Coração", um dos inéditos.

Rogério Charraz estreou-se discograficamente em 2012 com o álbum "A Chave". Na ocasião, em declarações à Lusa, afirmou que era um disco constituído por "canções políticas sem intenção política".

Em 2014, editou o segundo CD, "Espelho", com o qual pretendia "alertar a consciência das pessoas para o que as rodeia", como explicou à Lusa.

"Não Tenhas Medo do Escuro", o terceiro álbum, inclui a canção "Carta ao Prof. Júlio Machado Vaz", que contou com a voz do catedrático de Psiquiatria, filho da cançonetista Maria Clara (1923-2009).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório