Meteorologia

  • 30 SETEMBRO 2022
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 22º
Imobiliário Habitação Águas do Norte investe 800 mil euros...

Águas do Norte investe 800 mil euros em saneamento em Viana do Castelo

A Águas do Norte vai iniciar a empreitada de execução do sistema elevatório de águas residuais de Vila de Punhe, no município de Viana do Castelo.

Águas do Norte investe 800 mil euros em saneamento em Viana do Castelo

O investimento, no valor de cerca de 800 mil de euros, tem o prazo de execução de 7 meses.

Segundo comunicado da Águas do Norte, os trabalhos agora iniciados compreendem a execução de um troço do sistema elevatório de águas residuais de Vila de Punhe, na freguesia de Barroselas, em Viana do Castelo, consistindo na instalação de cerca de 2,4 km de intercetor gravítico ao longo da EN 308, 2 estações elevatórias, e cerca de 1,5 km de conduta elevatória.

"Com a execução desta infraestrutura, a Águas do Norte pretende resolver os problemas de drenagem e tratamento de águas residuais em 'alta' em várias freguesias do município de Viana do Castelo, nomeadamente nas freguesias de Vila de Punhe e Barroselas, sendo agora disponibilizada a uma parte significativa da população residente a possibilidade de usufruir de um adequado serviço público de saneamento de águas residuais, o que permitirá uma melhoria significativa da sua qualidade de vida e a preservação do meio ambiente", pode ler-se. 

A Águas do Norte iniciou a atividade a 30 de junho de 2015 e, enquanto entidade concessionária do sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento do Norte de Portugal, em 'alta', que é "responsável pela captação, tratamento e abastecimento de água para consumo público e pela recolha, tratamento e rejeição de efluentes domésticos, urbanos e industriais e de efluentes provenientes de fossas séticas".

Segundo a nota, assume ainda a exploração e gestão do sistema de águas da região do Noroeste, reunindo numa única entidade gestora, os serviços de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais em “alta” (prestados aos Municípios) e em “baixa” (prestados aos utilizadores finais, os munícipes), de forma regular, contínua e eficiente.

Leia Também: Interesse imobiliário na margem direita em Coimbra tem aumentado

Campo obrigatório