Meteorologia

  • 10 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 26º
Projeto. Antigo Sanatório de Portale...

Projeto. Antigo Sanatório de Portalegre pode vir a ter fins turísticos

A Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) quer transformar o antigo Sanatório de Portalegre num empreendimento turístico, integrado no programa Revive, e, em paralelo, ampliar o hospital da cidade, num investimento de 40 milhões de euros.

Projeto. Antigo Sanatório de Portalegre pode vir a ter fins turísticos

A intenção de colocar o terreno e edifício do sanatório na terceira fase do programa Revive foi hoje manifestada pela administração da ULSNA, proprietária do espaço, à secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, no decorrer de uma visita ao imóvel.

Em declarações aos jornalistas, a governante afirmou que "tudo indica" que o espaço e edifício do antigo sanatório reúne condições para integrar, no futuro, o programa Revive, embora haja pela frente um vasto trabalho técnico a desenvolver.

O administrador da ULSNA, Joaquim Araújo, explicou aos jornalistas que os serviços do antigo edifício do sanatório, construído no século XIX, foram desativados "há cerca de 40 anos", estando atualmente apenas a funcionar nesse local o laboratório de saúde pública e uma unidade do Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT).

"Havendo este programa [Revive], havendo esta abertura, seria útil que o sanatório se enquadrasse num programa desta natureza", disse, frisando que o objetivo da ULSNA é o de que "este edifício tenha alguma utilidade".

O edifício do sanatório está inserido num espaço com sete hectares, estando também construído, numa área contigua, o Centro de Saúde de Portalegre, que integra duas unidades de saúde familiar, equipamento que a ULSNA pretende depois retirar daquela zona.

Joaquim Araújo explicou que a ideia é localizar uma parte do Centro de Saúde de Portalegre num Parque de Saúde que a ULSNA pretende construir, no âmbito da ampliação do hospital, ficando a outra parte da unidade no bairro dos Assentos, também na cidade, obra que deverá estar concluída em 2023.

O projeto "foi aprovado em 2020, inclui uma candidatura de quase seis milhões de euros, onde estão outras estruturas de saúde também englobadas, em diversos concelhos", explicou.

Em relação ao Parque de Saúde, o administrador da ULSNA disse que este projeto está numa fase "processual, de estudos, de colheita de informação", para sustentar o seu avanço.

Neste âmbito, está previsto ser adquirido à Diocese de Portalegre e Castelo Branco o antigo Colégio Diocesano de Santo António, situado num espaço contíguo ao hospital da cidade.

"Já estabelecemos contactos [com a diocese], há um acordo de cavalheiros relativamente àquilo que poderá ser esta operação e já demos os primeiros passos no sentido de obter autorização", disse.

Este projeto está numa fase "ainda muito inicial", sublinhou, argumentando que, apesar de ainda haver "muito caminho por percorrer", o projeto está "bem estruturado" pela ULSNA, para que se possa tornar uma realidade.

"No programa Portugal 2020, temos inscritos cerca de 40 milhões de euros para a aquisição de terrenos, requalificação de estruturas e também a construção de outras estruturas que sejam necessárias", acrescentou.

O programa de reabilitação e valorização de património do Estado (Revive Património e Revive Natureza) é uma iniciativa conjunta dos ministérios da Economia, da Cultura e das Finanças.

Leia Também: Três mortos e 47 resgatados após naufrágio ao largo de Marrocos

Campo obrigatório