Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

Finanças Investimentos Lisboa: 16.ª melhor cidade europeia ...

Lisboa: 16.ª melhor cidade europeia para investir em imobiliário em 2022

A capital portuguesa continua a descer no ranking de melhores cidade europeias para se investir em imobiliário. Depois de ter liderado em 2019, Lisboa passou para 10.º lugar em 2020, 15.º em 2021 e, agora, estima-se que caia para a 16.ª posição em 2022, segundo revela um estudo realizado a PwC e pelo Urban Land Institute.

Lisboa: 16.ª melhor cidade europeia para investir em imobiliário em 2022

Lisboa continua a descer no ranking de melhores cidades europeias para se investir em imobiliário. Depois de ter liderado em 2019, a capital portuguesa passou para 10.º lugar em 2020, 15.º em 2021 e, agora, estima-se que caia para a 16.ª posição em 2022, segundo revela um estudo realizado a PwC e pelo Urban Land Institute. Contudo, no 16.º lugar, Lisboa lidera as restantes capitais do sul, Atenas e Istambul, que ocupam as 23.ª e 30.ª posições, respetivamente.

De acordo com esta edição do relatório 'Emerging Trends in Real Estate Europe 2022 - Road to Recovery', de entre as 31 metrópoles da Europa, a liderar o ranking das cidades europeias mais atrativas para os investidores em 2022 está Londres (Reino Unido). Seguem-se Paris (França), Frankfurt (Alemanha), Munique (Alemanha), Madrid, Amesterdão, Hamburgo (Alemanha), Barcelona (Espanha) e Bruxelas (Bélgica) que, por esta ordem, completam o 'top 10' da tabela. 

O "turismo e o setor residencial deverão recuperar fortemente depois do surgimento da pandemia", revela um dos especialistas desta análise, que acrescenta que os "alemães, suíços e alguns investidores espanhóis mostram estar muito agressivos e interessados em comprar no mercado de escritórios."

Já outro especialista salienta que, por outro lado, existem muitos investidores, mais propriamente, alemães e franceses, que estão a avaliar o mercado imobiliário, nomeadamente, os preços praticados nas grandes cidades europeias, e a "olhar para mercados alternativos." Com isto, "Lisboa, Madrid, Milão e Amesterdão continuam a beneficiar disso", sustenta o mesmo.

De realçar que este relatório em causa é realizado com base nos resultados retirados de questionários e entrevistas feitas a 844 especialistas do setor, incluindo investidores, gestores de fundos, promotores, financiadores e consultores. 

Leia Também: Investimento imobiliário comercial atingiu 1.173 milhões até setembro

Campo obrigatório