Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2021
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Autoridades de Hong Kong bloquearam site com imagens de manifestações

O fornecedor de Internet de Hong Kong Broadband Network disse hoje que o acesso ao portal HKChronicles foi bloqueado, tratando-se do primeiro caso de censura no quadro da lei de segurança nacional.

Autoridades de Hong Kong bloquearam site com imagens de manifestações
Notícias ao Minuto

11:50 - 14/01/21 por Lusa

Tech China

De acordo com o popular fornecedor de internet da Região Administrativa Especial de Hong Kong o bloqueio ao portal associado ao serviço verificou-se "após uma ação de injunção" (procedimento judicial que permite a um credor de uma dívida aceder a documentos). 

Ao contrário do que acontece no território continental chinês, a Região Administrativa Especial de Hong Kong dispõe de livre acesso à Internet apesar de os democratas temerem que a nova legislação sobre a segurança nacional venha a restringir a liberdade ao acesso às redes digitais. 

Na semana passada, os utilizadores de internet de Hong Kong notaram que era impossível o acesso ao portal HKChronicles a partir de alguns computadores. 

Através de um comunicado os responsáveis pelo portal declararam na altura que "acreditavam" terem sido bloqueados pelas autoridades locais.

A polícia recusou-se a comentar os fatos mas hoje a empresa Hong Kong Broadband Network, um dos mais importantes fornecedores de Internet da região administrativa especial, confirmou ter recebido uma ordem para desativar o site HKChronicles

"Nós desativamos a ligação ao portal (HKChronicles) em conformidade com a lei sobre a segurança nacional", disse hoje o servidor de Internet.

O HKChronicles, que permanece ativo para os utilizadores externos e em Hong Kong através de redes virtuais privadas, é apontado pelas autoridades como "controverso" por divulgar imagens e depoimentos das manifestações pró democracia, desde 2019.

O site bloqueado em Hong Kong dá voz às denúncias sobre a violência excessiva da polícia.  

Quando as autoridades ordenaram aos polícias para não usarem os crachats de identificação durante os confrontos e manifestações o portal começou a recolher os dados policiais dos agentes divulgando-os na página, uma tática conhecida como "doxing". 

A prática consiste em divulgar informações pessoais sendo que o procedimento é ilegal em Hong Kong. 

O mesmo portal revelou os nomes e as informações de contacto pessoais de várias personalidades pró-regime residentes em Hong Kong.

Na República Popular da China, o acesso aos portais de Internet é imposto através do "Great Firewall" (em alusão à Grande Muralha da China) um programa desenvolvido e aplicado pelo regime e que intervém nos conteúdos das redes sociais apagando-os ou exercendo censura.

No passado mês de junho, o regime de Pequim aprovou a lei de segurança nacional para pôr fim à contestação em Hong Kong.

A lei permite à polícia atuar junto dos fornecedores de Internet, suprimir conteúdos considerados "infração".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório