Meteorologia

  • 07 MARçO 2021
Tempo
15º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

Rede social ultraconservadora Parler está sem servidor

A rede social Parler encontra-se bloqueada, na sequência da decisão da empresa Amazon que cortou o acesso ao serviço por ser incapaz de gerir as mensagens de incitamento à violência nos Estados Unidos.

Rede social ultraconservadora Parler está sem servidor
Notícias ao Minuto

10:30 - 11/01/21 por Lusa

Tech EUA

De acordo com o portal especializado Down For Everyone Or Just Me, a rede social Parler encontra-se fechada desde as 07:59 não tendo os proprietários conseguido encontrar maneira de solucionar o funcionamento, até ao momento.

A popularidade do sistema Parler aumentou nos últimos dias, tornando-se na primeira aplicação gratuita da App Store (da empresa Apple) mais requisitada, após a decisão do Twitter de suprimir de forma permanente a conta do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O chefe de Estado norte-americano tem sido acusado de ter incitado os grupos radicais que atacaram e invadiram o edifício do Capitólio, na capital dos Estados Unidos, na semana passada, quando decorria a votação que confirmaria a vitória do seu rival nas presidenciais, o democrata Joe Biden.

As mensagens de apoio ao ataque de quarta-feira, em Washington, assim como os apelos a mais manifestações continuaram a multiplicar-se na plataforma digital levando a Google a retirar a aplicação Parler da App Store (aquisição de aplicações) e no sábado a própria Apple tomou a mesma decisão.

A empresa de compras em rede, Amazon confirmou que também ia suspender o acesso à rede social através dos serviços que detém na internet.

Numa mensagem dirigida aos proprietários da Parler, a Amazon anunciou que iria suspender o serviço da rede social a partir das 23:59 de domingo (07:59 de hoje em Lisboa) por causa dos conteúdos "violentos".

Com sede em Handerson, no Estado norte-americano do Nevada, a Parler foi lançada por John Matz, um engenheiro informático e por Rebekah Mercer, uma destacada financiadora do Partido Republicano.

Matz, confirmou hoje através de um texto na internet que é "possível" que a rede social fique inacessível durante uma semana.

"Estamos a fazer tudo para encontrar-mos um novo fornecedor, rapidamente", afirmou acusando os gigantes da internet de estarem a organizar-se numa "guerra contra a liberdade de expressão".

"Eles 'NÃO' vão ganhar! Nós somos a última esperança do mundo na defesa da 'liberdade de expressão' e a liberdade de informação", declarou. 

A rede Parler, lançada em 2018, é muito semelhante ao Twitter e foi muito utilizada pelos setores ultraconservadores e da extrema-direita norte-americana.  

Atualmente tem sido muito usada por membros do Partido Republicano mais radicais.

O apresentador da cadeia de televisão Fox News, Sean Hannity, tem 7,6 milhões de seguidores na rede Parler e o colega da mesma estação, Tucker Carlson é seguido por 4,4 milhões de pessoas. 

A mesma rede social é também usada por responsáveis políticos republicanos como Devin Nunes e o pela governadora do Dakota do Sul, Kristi Noem.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório