Meteorologia

  • 16 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 24º

PS diz que projeção indica "vontade de mudança" na Madeira

O PS/Madeira considera que a primeira projeção das eleições regionais hoje disputadas indicam a vontade de mudança do eleitorado e não excluem a possibilidade de uma maioria à esquerda, disse o mandatário da campanha socialista.

PS diz que projeção indica "vontade de mudança" na Madeira
Notícias ao Minuto

20:22 - 26/05/24 por Lusa

Política PS/Madeira

"Esta primeira projeção permite-nos salientar que há uma clara vontade de mudança na Região Autónoma da Madeira", declarou Victor Freitas, também diretor da campanha eleitoral dos socialistas madeirenses.

O antigo líder e deputado do PS/Madeira considerou ser "prematuro" fazer uma análise detalhada da projeção da Universidade Católica para a RTP, segundo a qual o PSD vence hoje as legislativas regionais da Madeira, com 33% a 38% dos votos, falhando a maioria absoluta.

Também aponta que o PS, o segundo partido mais votado pode eleger entre os 11 e os 14 deputados, com 21% a 25%.

"Pode acontecer uma maioria à esquerda, pode existir uma maioria à direita, sendo que a maioria à direita já existia e caiu por vontade dos próprios e levou a estas eleições", acrescentou.

Victor Freitas complementou que só mais para o final da noite é que será possível saber que "caminhos a Madeira poderá trilhar", admitindo que esse cenário poderá também não ser "já óbvio e absoluto".

O mandatário ainda salientou que várias candidaturas -- CDS, IL, Chega e PAN -- asseguraram durante a campanha eleitoral que não fariam coligação com o PSD liderado por Miguel Albuquerque e que hoje "não podem dar o dito por não dito".

"Portanto, o Partido Socialista estará aberto ao diálogo com todas as outras forças políticas sem exceção no sentido de, no dia de hoje, construirmos algo para o futuro", sublinhou.

O socialista recordou que a Madeira vive há 48 anos governada pelo mesmo partido, adiantando que, a concretizarem-se os números da projeção, a região terá "um PSD muito abaixo dos 40%, perto dos 30%", o que denota haver "um caminho sem retorno".

As eleições legislativas regionais antecipadas na Madeira decorreram hoje, num escrutínio em que mais de 254 mil eleitores foram chamados a votar, para escolher um novo parlamento e um novo governo.

Catorze candidaturas disputaram os 47 lugares no parlamento regional, num círculo eleitoral único: ADN, BE, PS, Livre, IL, RIR, CDU (PCP/PEV), Chega, CDS-PP, MPT, PSD, PAN, PTP e JPP.

As eleições antecipadas de hoje ocorreram oito meses após as mais recentes legislativas regionais, depois de o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ter dissolvido o parlamento madeirense, na sequência da crise política desencadeada em janeiro, quando o líder do Governo Regional (PSD/CDS-PP), Miguel Albuquerque, foi constituído arguido num processo em que são investigadas suspeitas de corrupção.

Na última legislatura, a Assembleia Legislativa da Madeira tinha 20 representantes do PSD, três do CDS-PP, 11 do PS, cinco do JPP e quatro do Chega. A CDU, o BE, o PAN e a IL ocupavam um lugar cada.

Segundo uma estimativa do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa, divulgada pela RTP às 18h30, a abstenção hoje deverá situar-se entre 44% e 49%.

Leia Também: PSD liderava na Madeira com 45,69% dos votos às 20h00

Recomendados para si

;
Campo obrigatório