Meteorologia

  • 19 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 12º MÁX 21º

Lobo D'Ávila sai do CDS: "Forma como entendo a política não é compatível"

Antigo Secretário de Estado da Administração Interna era militante do partido atualmente liderado por Nuno Melo há 30 anos. Desfiliação tem "efeitos imediatos". 

Lobo D'Ávila sai do CDS: "Forma como entendo a política não é compatível"
Notícias ao Minuto

17:05 - 23/04/24 por Catarina Correia Rocha

Política CDS-PP

Filipe Lobo D'Ávila, antigo Secretário de Estado da Administração Interna e ex-deputado, desvinculou-se do CDS-PP. Em carta endereçada ao presidente do partido, Nuno Melo, e ao secretário-geral, Pedro Morais Soares, o ex-governante assume que "a forma como entende a política" não é "compatível com a militância partidária no CDS"

"Ao longo dos últimos 30 anos de militância partidária tive o enorme orgulho de militar no CDS, tendo tido a oportunidade de representar o CDS em funções partidárias, parlamentares e governativas. No Ministério da Justiça como Diretor-Geral entre 2002 e 2008, no Ministério da Administração Interna como Secretário de Estado da Administração Interna entre 2011 e 2014, no Parlamento enquanto Deputado em diferentes legislaturas e no Partido como Porta-Voz e Vice-Presidente, de diferentes Presidentes eleitos pelos militantes", começa por escrever Lobo D'Ávila na carta a que o Notícias ao Minuto teve acesso. 

Na missiva de desfiliação, o ex-deputado salienta ainda que "nos últimos três anos", procurou "estar em silêncio quanto à vida partidária", tendo atravessado "um longo processo interno de reflexão e enorme ponderação pessoal e familiar, em particular nos últimos dois anos".

É uma decisão ponderada e tomada em consciência

Lobo D'Ávila concluiu "que a forma como entendo a política, como serviço público, em liberdade, com pensamento, com espírito crítico, com independência, sem subserviências financeiras ou de outra índole, com espírito de missão, mas igualmente com sentimento de pertença e afinidade política a um determinado Partido, não é hoje compatível com a minha militância partidária no CDS". 

O agora ex-militante não se alonga nas razões da sua saída - inicialmente avançada pelo Diário de Notícias e confirmada pelo Notícias ao Minuto - salientando, contudo, que a desfiliação tem "efeitos imediatos"

"Foi um orgulho ter assumido responsabilidades em nome de um CDS de que guardarei excelentes recordações e que em boa verdade também foi responsável por parte daquilo que sou hoje. É assim uma decisão ponderada e tomada em consciência", adianta. 

E termina: "O passado não faz presente e muito menos futuro. E política podemos fazer em qualquer lado, na nossa vida, no nosso meio, na nossa sociedade. Em liberdade e sem dependências". 

[Notícia atualizada às 17h14]

Leia Também: Líder do CDS destaca conhecimento da candidata centrista na lista da AD

Recomendados para si

;
Campo obrigatório