Meteorologia

  • 21 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 20º

Manuel Carvalho da Silva apela ao voto "com memória" na CDU

O antigo secretário-geral da CGTP, Manuel Carvalho da Silva, surgiu hoje no início da arruada da CDU na Amadora, Lisboa, para apelar ao voto "com memória", sublinhando os riscos para a sociedade do enfraquecimento do PCP.

Manuel Carvalho da Silva apela ao voto "com memória" na CDU
Notícias ao Minuto

21:17 - 05/03/24 por Lusa

Política Legislativas

"Acho que é um momento em que precisamos muito de votar com memória. E é preciso ter presente que o enfraquecimento deste partido pode ser um prejuízo muito grande para desafios que aí vêm", disse o ex-líder da organização intersindical, depois de cumprimentar o secretário-geral do PCP, Paulo Raimundo, nas ruas da Amadora, acrescentando: "Uma sociedade sem memória perde-se rapidamente".

Carvalho da Silva não quis sobrevalorizar a sua presença na iniciativa de campanha da CDU, ao notar que nunca deixou de "estar presente na sociedade". Por outro lado, realçou a história do partido no qual militou "muitos anos" e a sua importância para os desafios sociais do presente e do futuro.

"Estamos num tempo de grandes lutas. Os partidos têm a sua função, as suas capacidades e cada um tem o seu contributo, mas há uma realidade objetiva: o Partido Comunista [Português], no qual militei muitos anos e conheço bem, tem um chão, um lastro distintivo que faz muita falta à luta dos trabalhadores. E a luta vai ser difícil", vaticinou, antes de desejar uma "boa campanha" ao líder da CDU.

Paulo Raimundo avançou então pelas ruas da Amadora com cerca de 200 apoiantes, enaltecendo a campanha "muito direta" e "muito envolvida nos problemas das pessoas" e lembrando que "as bandeiras que se veem não andam sozinhas".

O líder comunista manifestou ainda a sua gratidão pela presença de Carvalho da Silva na iniciativa. "Acho que é uma demonstração de unidade, alargamento e gente que decidiu dar o passo para dar o seu apoio à CDU. E, para nós, é um orgulho muito grande, há espaço para alargar", frisou, lembrando que "o histórico do PCP fala por si".

Paulo Raimundo enfatizou também a "experiência política acumulada" no combate à direita e reiterou a importância desse passado para o apelo ao voto. "Aqueles que pedem voto para lutar contra a direita só encaixa na CDU. E não é só combater, é o voto que não vai fugir ou desertar desse combate", sentenciou.

Por último, já no discurso de encerramento da arruada, junto ao centro de trabalho do PCP na Amadora, o secretário-geral comunista lembrou o 103.º aniversário do partido, que se comemora esta quarta-feira.

"Amanhã [quarta-feira] o PCP comemora 103 anos de existência. A força de combate, a força de resistência que enfrentou durante 48 anos a besta fascista... concretizámos essa coisa mais linda da nossa história, o 25 de Abril. É por isso que dizemos àqueles que estão preocupados com a direita que aqui está a força, a segurança, o porto seguro para esse combate", concluiu.

[Notícia atualizada às 21h34]

Leia Também: Raimundo em Almeirim lança CDU como os "guarda-rios" do parlamento

Recomendados para si

;
Campo obrigatório