Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 25º

IL quer médico de família para grávidas, idosos e crianças já este ano

O presidente da Iniciativa Liberal (IL) comprometeu-se hoje a atribuir médico de família ainda este ano a grupos prioritários, nomeadamente a grávidas, crianças até aos nove anos e idosos com mais de 65 anos.

IL quer médico de família para grávidas, idosos e crianças já este ano
Notícias ao Minuto

20:59 - 02/03/24 por Lusa

Política Eleições

"Está na hora de mais saúde para as famílias e é por isso que nós temos uma proposta já em 2024 de médico de família para as grávidas, para as crianças até aos nove anos e para os avós destas crianças, ou seja, médico de família para aqueles que mais precisam", afirmou Rui Rocha num comício no Porto, naquela que foi a última ação de campanha do dia para as eleições antecipadas de março.

Estes grupos definidos como prioritários pela IL englobam cerca de 500 mil pessoas, especificou.

Sem esclarecer quanto vai custar a medida, Rui Rocha disse que a "saúde não tem preço" e, se o Serviço Nacional de Saúde (SNS) não tiver capacidade instalada, recorrerá ao setor social e privado.

"É uma questão de abandonar o enviesamento ideológico, definir prioridades e convocar toda a capacidade instalada para que os portugueses, nomeadamente os grupos prioritários, tenham médico de família", entendeu.

Alguém que demora anos a ter uma consulta e quando a têm lhe é diagnosticada uma doença em estado avançado vai custar mais ao Estado, daí a "urgência de se investir na saúde dos portugueses" para lhes proporcionar qualidade de vida e poupar sofrimento, salientou o dirigente liberal.

"Aquilo que acontece na saúde hoje é que é mal gerida, tem mais custos para o Estado do que aqueles que devia ter e tem custos pessoais, custos enormíssimos e inaceitáveis para as pessoas que não têm acesso à saúde em Portugal", reforçou.

Rui Rocha vincou que a IL, ao contrário de outros partidos, não está a dizer que o médico de família é já para todos, mas sim a dizer que é para aqueles que mais precisam.

E acrescentou: "Mais nenhum partido garante isso".

Apontando críticas ao PS por "arrastar os pés" em matéria de saúde, o presidente da IL salientou que os portugueses estão a sofrer com a falta de acesso à saúde, sendo "urgente colocar o país a andar neste setor".

O presidente da IL lamentou ainda as promessas de construção de hospitais, designadamente em Loulé, no distrito de Faro, e em Barcelos, no distrito de Braga, que estão por cumprir há anos.

Nesta primeira semana de campanha eleitoral, Rui Rocha prometeu que, caso venha a ser a força política mais votada nas eleições de dia 10 de março, estes dois hospitais serão uma realidade.

Mais de 10,8 milhões de portugueses são chamados a votar em 10 deste mês para eleger 230 deputados à Assembleia da República.

A estas eleições concorrem 18 forças políticas, 15 partidos e três coligações.

Leia Também: "Interromperam o jogo, mas vamos ganhar as eleições", assegura Costa

Recomendados para si

;
Campo obrigatório