Meteorologia

  • 13 ABRIL 2024
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 29º

Jovens tornaram a lisboeta Avenidas Novas na zona "mais liberal" do país

Nas Avenidas Novas, a zona "mais liberal" do país, moradores e comerciantes justificam a forte implementação do partido liderado por Rui Rocha na freguesia lisboeta com o aumento de jovens que ali reside.

Jovens tornaram a lisboeta Avenidas Novas na zona "mais liberal" do país
Notícias ao Minuto

07:49 - 22/02/24 por Lusa

Política Legislativas

Nas eleições legislativas de 2022, a Iniciativa Liberal (IL), na altura presidida por João Cotrim de Figueiredo, obteve 2.409 votos (16,6%), de um total 14.511, segundo dados oficiais do Ministério da Administração Interna.

Apesar de nem ter sido o partido mais votado nas Avenidas Novas, foi nesta freguesia da cidade de Lisboa, presidida pelo PSD, que a IL obteve o seu melhor resultado a nível nacional.

Ouvidos pela agência Lusa, alguns moradores e comerciantes justificaram a forte implementação da IL com o aumento, nos últimos anos, do número de residentes jovens, apesar de reconhecerem que a freguesia já era tendencialmente "de "direita".

"Hoje temos mais jovens a viver aqui e acho que já não se reveem nos partidos tradicionais. Por isso, uns acabam por puxar para o Chega e outros para a Iniciativa Liberal", explica Pedro Elias, morador nas Avenidas Novas há 27 anos.

Sentado numa esplanada de um café da Avenida Defensores de Chaves, Pedro Elias refere à Lusa que até notou uma mudança nos hábitos e no perfil dos residentes deste bairro lisboeta.

"A ideia que dá é que hoje isto é um bairro mais dormitório. A maioria das pessoas que se vê durante o dia não vivem aqui e estão apenas de passagem", aponta.

A mudança foi também sentido por António Pereira, proprietário há 36 anos de uma tabacaria na Avenida Visconde Valmor, que se queixa que "os novos jovens" que agora habitam no bairro já não consomem como os antigos.

"Nota-se que são jovens casais e que alguns deles são funcionários de empresas. Consomem muito pouco aqui no bairro e são muito vaidosos. Não sei se é isso que ajuda a explicar haver tantos votos na Iniciativa Liberal", afirma com um sorriso.

Uns quarteirões mais à frente, na Avenida João Crisóstomo, Mariana Pinho, de 72 anos, diz à Lusa não estranhar o sucesso na freguesia da Iniciativa Liberal, uma vez que "existem muitos descontentes do PSD".

"Eu julgo que existe muita gente que saiu do PSD para a Iniciativa Liberal. Primeiro não se identificavam com o Rui Rio e agora não se identificam com o Luís Montenegro. Do meu conhecimento são jovens a partir dos 30 anos", sublinha.

O aumento de residentes jovens na freguesia é também o principal motivo que o vice-presidente da Associação de Moradores das Avenidas Novas, Paulo Lopes, encontra para a forte adesão às ideias da Iniciativa Liberal.

"Esta é uma freguesia que começa a ganhar alguma população jovem. Politicamente, isso é sabido desde sempre, é uma freguesia que vota muito centro-direita e em que os moradores são da classe média alta. Julgo que esses fatores possam responder a essa questão", sublinha.

No entanto, Paulo Lopes ressalva que, "dada a sua dimensão geográfica, a freguesia das Avenidas Novas tem realidades distintas", dando como exemplo o bairro do Rego, onde existem muitos apoiantes do PCP.

"O Rego é um bairro de cariz operário, que começa também a ter hoje em dia alguma habitação de classe média e também de classe alta, mas que continua a ser hoje um bairro de cariz muito operário", aponta.

Já a deputada municipal de Lisboa da Iniciativa Liberal Angélique da Teresa justifica o sucesso do partido nas Avenidas Novas ao trabalho de divulgação que a IL tem desenvolvido na freguesia e "ao desejo de mudança".

"Temos tido uma excelente recetividade, uma enorme curiosidade relativamente às nossas ideias e à nossa forma de pensar. Uma procura das pessoas em querer algo de novo, algo diferente, em ver os problemas do dia-a-dia resolvidos", argumenta.

Nesse sentido, a deputada da IL recusa alguns "rótulos" e "estereótipos" que têm sido colocados aos militantes, de que "são todos ricos e empresários", sublinhando que no partido também militam "senhoras da limpeza".

"É um partido muito eclético. Nós não diferenciamos as pessoas, só porque umas são mais letradas ou menos letradas. Portanto, essa conversa ou a imagem que se quer passar do elitismo da IL não faz sentido", sublinha.

Criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa (2012), a freguesia das Avenidas Novas resulta da agregação das antigas freguesias de Nossa Senhora de Fátima e São Sebastião da Pedreira, incluindo também uma parcela que pertenceu à autarquia de Campolide.

É nesta freguesia que se localizam importantes avenidas como a Avenida da República, a Avenida de Berna, a Defensores de Chaves e relevante património histórico e cultural como a Fundação Calouste Gulbenkian, o palácio Galveias e a Maternidade Alfredo da Costa.

De acordo com os últimos censos (2021) a freguesia, com 2,99 quilómetros quadrados de área, tem 23.261 habitantes, sendo que a maioria possui o nível de escolaridade de ensino superior e tem como área de estudo as ciências empresariais.

Segundo dados disponibilizados pelo portal de imobiliário Idealista, o preço de arrendamento nas Avenidas Novas era em janeiro de 21,8 euros por metro quadrado e o de venda 6.536 euros.

Portugal vai ter eleições legislativas antecipadas em 10 de março, marcadas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na sequência da demissão do primeiro-ministro, António Costa, em 07 de novembro, alvo de uma investigação do Ministério Público no Supremo Tribunal de Justiça.

Leia Também: IL diz que líder do PS não tem legitimidade para falar de "bagunça"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório