Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 18º

Sondagens? PNS reitera objetivo: "Derrotar a Direita no dia 10 de março"

O candidato à liderança do PS comentou a sondagem que dá conta que o seu adversário, José Luís Carneiro, seria, para a maioria dos portugueses, o melhor chefe de Governo.

Sondagens? PNS reitera objetivo: "Derrotar a Direita no dia 10 de março"
Notícias ao Minuto

22:03 - 28/11/23 por Notícias ao Minuto

Política Partido Socialista

O candidato ao cargo de secretário-geral do Partido Socialista (PS) Pedro Nuno Santos afirmou, esta terça-feira, que a sondagem, que dá conta que a maioria dos portugueses considera que o seu adversário, José Luís Carneiro, seria o melhor chefe de Governo, "confirma" o que "já se sabia" e reiterou que a sua candidatura tem como objetivo "derrotar a Direita no dia 10 de março e o PSD em particular".

"Confirma aquilo que nós também sabíamos. O eleitorado do Partido Socialista, o eleitorado que deu maioria absoluta ao Partido Socialista em 2022, prefere a nossa candidatura [de Pedro Nuno Santos]. E a maioria do eleitorado de Direita prefere o meu adversário interno [José Luís Carneiro]", disse aos jornalistas, em Santarém. "Isso não é nenhuma novidade".

Pedro Nuno Santos defendeu ainda que o "objetivo" da sua candidatura é "mobilizar o eleitorado português" para ser possível "derrotar a Direita no dia 10 de março e o PSD em particular".

Sublinhe-se que, segundo uma sondagem da Universidade Católica para a RTP, Antena 1 e jornal Público, a maioria dos portugueses inquiridos considera  que José Luís Carneiro seria melhor chefe de Governo do que o líder do PSD, Luís Montenegro (42% contra 37%).

Já entre Pedro Nuno Santos e Luís Montenegro há um empate com uma pequena vantagem para o líder dos sociais-democratas (40% contra 39%).

Pedro Nuno Santos apresentou a sua candidatura à liderança do PS, cujas eleições internas diretas estão marcadas para os dias 16 e 17 de dezembro, após a demissão de António Costa das funções de primeiro-ministro.

Na base da demissão, recorde-se, esteve uma investigação a António Costa no Supremo Tribunal de Justiça, após suspeitos terem invocado o seu nome como tendo intervindo para desbloquear procedimentos nos negócios investigados.

Leia Também: Carneiro vs. PNS. Como se 'divide' o PS na escolha do futuro líder?

Recomendados para si

;
Campo obrigatório