Meteorologia

  • 23 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 24º

Debate do OE para 2024? "O PS roubou completamente o discurso à Direita"

Na ótica da bloquista Catarina Martins, "a Direita tinha apostado tudo na ideia de que o importante era uma redução do IRS que permitisse uma consolidação orçamental exatamente do mesmo tipo que o Governo está a fazer".

Debate do OE para 2024? "O PS roubou completamente o discurso à Direita"

A bloquista Catarina Martins comentou, esta segunda-feira, a primeira sessão do debate na generalidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2024, afirmando que "a Direita ficou sem discurso para debater com o primeiro-ministro".

"A Direita tinha apostado tudo na ideia de que o importante era uma redução do IRS que permitisse uma consolidação orçamental exatamente do mesmo tipo que o Governo está a fazer, portanto o Governo está a fazer aquilo que a Direita tem proposto ser feito", começou por referir, no programa 'Linhas Vermelhas', da SIC Notícias.

Na ótica de Catarina Martins, "o Partido Socialista roubou completamente o discurso à Direita, que não é capaz de fazer a oposição e isso viu-se hoje".

"Fazendo exatamente o que a Direita propõe, chegamos a este ponto que é o ponto de as pessoas não saberem como é que vão chegar ao fim do mês e dos serviços públicos não estarem a funcionar", adiantou ainda.

Privatização da TAP

Sobre a privatização da TAP, que o chefe de Governo garantiu só avançar se o 'hub' de Lisboa e a "função estratégica" da companhia aérea forem assegurados, Catarina Martins realçou que "uma vez a TAP vendida, acabou". "Toda a gente sabe que isto ninguém pode garantir. A partir do momento em que a TAP for vendida acabou qualquer garantia. O que o primeiro-ministro disse hoje vale exatamente zero", acrescentou ainda.

Questões sem resposta

A bloquista fincou o facto de existirem "outras questões fundamentais sobre o Orçamento do Estado" para as quais "não há resposta". "As pessoas não conseguem chegar até ao fim do mês, os salários estão a encolher, os preços estão a crescer, a habitação tem, neste momento, preços impossíveis", atirou.

Catarina Martins lembrou que 2024 terá "o maior aumento das rendas em 30 anos", criticando o Governo, que diz resolver "isso tudo com os apoios à renda que não chegam sequer a 70% dos contratos de arrendamento".

De recordar que votação na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2024 arrancou esta segunda-feira e estende-se até à tarde de amanhã, terça-feira. 

Leia Também: Do "amor de verão" à "arrogância" de Costa (e à TAP). Eis o debate do OE

Recomendados para si

;
Campo obrigatório