Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
16º
MIN 10º MÁX 20º

"Reformado" Jardim em "casa" e sem "protagonismos". "Deito-me mais cedo"

Noite eleitoral de Alberto João Jardim será passada em casa e não se prevê longa.

"Reformado" Jardim em "casa" e sem "protagonismos". "Deito-me mais cedo"
Notícias ao Minuto

16:38 - 24/09/23 por Carmen Guilherme com Lusa

Política Madeira

O antigo presidente do Governo Regional da Madeira Alberto João Jardim afirmou, este domingo, que evita "protagonismos", referindo que acompanhará os resultados das legislativas regionais a partir de casa e que a noite... é do vencedor.

Em declarações à RTP, no momento de exercer o direito de voto, Alberto João Jardim, deu conta de que as eleições estão a decorrer com normalidade. "Está a correr normalmente e espero que as pessoas todas cumpram o seu dever eleitoral", começou por dizer.

Interrogado sobre se a sua noite se irá prolongar, o ex-presidente do Governo Regional da Madeira respondeu com algum humor.

"Eu já estou reformado, deito-me mais cedo", afirmou. "Eu evito protagonismos, portanto, a noite é dos vencedoras das eleições", acrescentou.

Alberto João Jardim revelou ainda que irá ficar "por casa". "A partir do momento em que deixei a vida política, fico em casa. Os festejos passaram a ser outros", rematou.

Recorde-se que Alberto João Jardim foi presidente do PSD/Madeira entre 1974 e 2015 e presidente do Governo Regional entre 1978 e 2015.

Mais de 253 mil eleitores são hoje chamados a votar nas legislativas regionais da Madeira para escolher a nova composição do parlamento do arquipélago, com 13 candidaturas na corrida.

Em causa estão os 47 lugares do parlamento regional, disputados num círculo eleitoral único por duas coligações e outros 11 partidos: PTP, JPP, BE, PS, Chega, RIR, MPT, ADN, PSD/CDS-PP (coligação Somos Madeira), PAN, Livre, CDU (PCP/PEV) e IL.

Há quatro anos - quando a abstenção foi de 44,5% -, os sociais-democratas elegeram 21 deputados, perdendo pela primeira vez a maioria absoluta que detinham desde 1976, e formaram um governo de coligação com o CDS-PP (três deputados). O PS alcançou 19 mandatos, o JPP três e a CDU um.

Leia Também: Madeira AO MINUTO: Eleições decorrem com normalidade; "Muitos a votar"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório