Meteorologia

  • 18 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 20º

TAP. "Quem é Galamba para proibir a gestora de apresentar os resultados?"

O social-democrata Miguel Relvas teceu algumas considerações sobre o caso TAP, nomeadamente uma intervenção do ministro das Infraestruturas.

TAP. "Quem é Galamba para proibir a gestora de apresentar os resultados?"
Notícias ao Minuto

09:30 - 23/03/23 por Notícias ao Minuto

Política TAP

O ex-ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares Miguel Relvas criticou, na quarta-feira, a posição do Governo, e, em particular, do ministro das Infraestruturas, João Galamba, sobre a decisão de não ouvir a ex-CEO da TAP,  Christine Ourmières-Widener, no âmbito da apresentação dos resultados da companhia aérea.

"É proibida de apresentar os resultados da sua gestão. Isto não é sério. É a tal mexicanização. Quem é o João Galamba para proibir a gestora de uma empresa de apresentar os resultados quando aquilo que se deve pedir ao gestores - principalmente aos da coisa publica - é que prestem contas?", questionou o social-democrata durante o programa 'Crossfire', emitido pela CNN Portugal.

Estas declarações surgem na sequência de uma intervenção de Galamba durante a comissão parlamentar de Economia, Obras Públicas, Planeamento e Habitação. O ministro foi questionado pelo social-democrata Paulo Rios de Oliveira porque razão tinha sido impedida a presidente executiva da TAP de apresentar os resultados, e João Galamba respondeu que Christine Ourmières-Widener "não foi impedida até porque nem foi pedido".

Relvas notou ainda que, no âmbito da crise gerada pela companhia aérea, havia muitas pessoas que estavam preocupadaa. "Sei que anda muita gente preocupada com aquilo que foi dizendo a gestora francesa, as mensagens que lhe mandaram. Muita gente preocupada com o que disse no passado e que agora fez. Como é que querem ter o elogio de resultados positivos, e a mesma pessoa é despedida?", voltou a questionar, lembrando que a ex-responsável prometeu ir a tribunal devido ao seu despedimento, que o Governo alega ter ocorrido por justa causa.

"Vamos ter uma comissão de inquérito. O processo ainda está a começar", referiu durante no mesmo espaço de comentário, durante o qual deixou ainda críticas ao primeiro-ministro, António Costa. 

"Há dois políticos em Portugal que, quando abrem a boca, António Costa fica muito preocupado - ataca. Ainda hoje atacou Cavaco Silva e Passos Coelho. Porquê? Por uma razão muito simples. São políticos que têm credibilidade", rematou, lembrando a intervenção do ex-presidente da República, Cavaco Silva, que considerou, nos últimos dias, que a crise na habitação "é resultado do falhanço da política do Governo", manifestando "muitas dúvidas" quanto ao sucesso do pacote do Executivo, que tem um "problema de credibilidade".

Leia Também: Conferência de resultados da TAP não se fez devido a cenário de transição

Recomendados para si

;
Campo obrigatório