Meteorologia

  • 20 JULHO 2024
Tempo
28º
MIN 20º MÁX 28º

"Se há alguém que tem procurado soluções para a paz é o governo chinês"

O secretário-geral do PCP manifestou hoje expectativas positivas quanto ao encontro entre os presidentes chinês e russo, salientando que "se há alguém que tem procurado soluções para a paz" na Ucrânia tem sido o regime de Pequim.

"Se há alguém que tem procurado soluções para a paz é o governo chinês"
Notícias ao Minuto

12:28 - 20/03/23 por Lusa

Política PCP

O presidente chinês, Xi Jinping, já desembarcou na Rússia, onde vai reunir hoje e na terça-feira com o homólogo russo, Vladimir Putin, numa visita de Estado que visa reforçar a parceria entre os dois países, e nos quais os dois chefes de Estado discutir o plano proposto por Pequim para resolver o conflito na Ucrânia.

Questionado sobre estes encontros, à margem de uma conferência de imprensa do PCP sobre habitação, Paulo Raimundo considerou que "tudo o que seja abrir caminhos para a paz é positivo".

"Se há coisa que acho que podemos afirmar com toda a certeza é que se há alguém que tem procurado soluções para a paz e investir em caminhos para a paz, até com propostas concretas, tem sido o governo chinês, em particular o presidente chinês", afirmou.

O líder do PCP disse que, apesar de ser incerto o que vai acontecer nesse encontro, "seria positivo que esses planos no caminho da paz" estejam presentes, salientando que os povos já não precisam "de mais guerra, mais gasolina".

Num plano para a paz, proposto no final de fevereiro, Pequim destacou a importância de "respeitar a soberania de todos os países", numa referência à Ucrânia, mas apelou também para o fim da "mentalidade da Guerra Fria", numa crítica implícita ao alargamento da NATO. A China pediu ainda o fim das sanções ocidentais impostas à Rússia.

A reunião desta semana ocorre também após o Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia, ter acusado Putin de ser pessoalmente responsável pelo rapto de milhares de crianças da Ucrânia. Os governos que reconhecem a jurisdição do tribunal vão ser assim obrigados a deter Putin se ele visitar o seu país.

O governo chinês não deu detalhes sobre os objetivos da visita. Antes da invasão à Ucrânia, em fevereiro de 2022, Xi e Putin tinham declarado uma "amizade sem limites", contudo a China tem tentado manter uma posição neutra no conflito.

Leia Também: Putin e Xi vão abordar plano da China para o conflito na Ucrânia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório