Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 7º MÁX 14º

Itália? PCP pede luta contra revisionismo que "banaliza" o fascismo

O PCP considerou hoje que a perspetiva de um Governo de extrema-direita em Itália "é inquietante" e obriga à intensificação da "luta contra o revisionismo histórico que branqueia e banaliza os crimes do nazifascismo".

Itália? PCP pede luta contra revisionismo que "banaliza" o fascismo
Notícias ao Minuto

13:17 - 26/09/22 por Lusa

Política PCP

Em comunicado, a direção comunista sustenta que a ideia de um Governo de extrema-direita em Itália, a terceira maior economia da Zona Euro, "é inquietante e confirma a necessidade de intensificar a luta contra o revisionismo histórico que branqueia e banaliza os crimes do nazifascismo enquanto promove o anticomunismo".

A coligação liderada pelo partido de extrema-direita Fratelli d'Italia (Irmãos de Itália), de Giorgia Meloni, está "comprometida com o legado do fascismo" de Benito Mussolini, acrescenta o PCP - a previsível próxima primeira-ministra italiana demonstrou publicamente afeição à ditadura que governou o país entre 1922 e 1943.

Na perspetiva dos comunistas portugueses, a vitória declarada pela extrema-direita nas eleições legislativas de domingo é consequência da "profunda crise" político-económica e social "em que Itália está mergulhada" por causa da ação de sucessivos executivos que seguiam as orientações de Bruxelas, incluindo o último, liderado por Mario Draghi.

"A ascensão de uma força marginal à mais votada é inseparável da sofisticada mediatização e descarada promoção da figura de Giorgia Meloni e da normalização do Irmãos de Itália, um partido com uma trajetória de cariz fascizante", argumenta o PCP.

Ainda "é cedo para avaliar todas as implicações" do resultado das eleições, mas o PCP já encontra "profissões de fé neoliberal e 'atlantista' à medida dos interesses do grande capital" daquele país.

"O PCP confia, porém, em que os trabalhadores e o povo italiano, coerente com as suas tradições democráticas e progressistas, acabarão por derrotar as forças reacionárias e os projetos fascizantes", finaliza a nota divulgada pelo partido.

A coligação de direita e extrema-direita, liderada pelos Irmãos de Itália, pode obter entre 41% a 45% dos votos nas legislativas realizadas no domingo em Itália, segundo as sondagens à boca das urnas.

A participação nas eleições gerais da Itália no domingo foi de cerca de 63,81%, abaixo do valor de 72,9% registado nas eleições de 2018, disse a ministra do Interior italiana, Luciana Lamorgese.

Leia Também: PCP quer alargar para oito meses créditos pagos pelo Fundo de Garantia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório