Meteorologia

  • 17 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 26º

PCP faz requerimento à ERC por cobertura mediática de funeral de Jéssica

Deputada Alma Rivera é uma das vozes que se insurgiu contra a cobertura mediática do caso que chocou o país.

PCP faz requerimento à ERC por cobertura mediática de funeral de Jéssica
Notícias ao Minuto

22:06 - 24/06/22 por Notícias ao Minuto

Política Setúbal

O PCP apresentou um "requerimento destinado à ERC" com o objetivo de obter esclarecimentos acerca do tratamento mediático que o caso Jéssica, que chocou o país esta semana, está a receber. 

Segundo a deputada Alma Rivera "é demasiado mau o que está a acontecer". No requerimento, a cobertura mediática é classificada como "chocante" numa "desumana exploração de tudo o que de mais sórdido há neste caso". 

O anúncio é feito por Alma Rivera na sua página de Facebook. 

Esta não foi a única voz que se insurgiu contra a cobertura dos meios de comunicação social do caso. 

A deputada socialista Isabel Moreira considerou que o "que temos visto por parte de muitos órgãos de comunicação social é aviltante". 

"Jornalistas a perseguirem familiares da criança de câmaras em riste a fazerem perguntas indecorosas, sem respeito algum pela privacidade dos ditos. Parecem abutres em concurso uns com os outros anunciando imagens recolhidas para deleite das audiências (houve quem fosse ao quarto da menina), passando em loop, claro, a cara daquele anjo, que interessa a dignidade de uma criança que já morreu?", escreveu a socialista. 

Isabel Moreira mostrou-se ainda revoltada com a forma como a menina foi velada sem o "silêncio" do luto que lhe é devido.

A deputada deixou ainda um apelo para que as "entidades que zelam pela decência" se pronunciem. "Vivo num Estado de direito fundado na dignidade da pessoa humana e isso impõe se ao pavoroso gosto de quem se delicia com abutres", concluiu. 

Já Inês Sousa Real, do PAN, apontou a "forma voyeurista como tem sido feita a cobertura desta tragédia por parte de alguns meios" classificando-a como "inaceitável e em nada contribui para a prevenção e a proteção de outras crianças". 

Também a deputada do PAN frisou: "Há entidades reguladoras que devem pronunciar-se. Códigos de conduta que há muito deveriam ter sido criados, adaptados à Convenção de Istambul, para que a cobertura noticiosa de casos de violência doméstica, onde se incluem as crianças, seja adequada e evite um 'expectável efeito contágio'". 

Recorde-se que o funeral de Jéssica decorreu, esta sexta-feira, no Cemitério da Paz, em Setúbal, num clima de fúria popular e insultos dirigidos à mãe da criança. 

Os três suspeitos da sua morte estiveram hoje a ser ouvidos em primeiro interrogatório judicial, no Tribunal Judicial de Setúbal, que deverá ser concluído amanhã, sábado, a fim de serem depois atribuídas as medidas de coação. 

Leia Também: Suspeitos da morte de Jéssica vão continuar a ser ouvidos amanhã

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório