Meteorologia

  • 28 MAIO 2022
Tempo
25º
MIN 16º MÁX 27º

Francisco Rodrigues dos Santos vai recandidatar-se à liderança do CDS

O presidente do CDS-PP anunciou hoje que será recandidato à liderança do partido e mostrou-se convicto de que vai vencer o próximo congresso e que os centristas vão ter ter "um bom resultado" no domingo.

Francisco Rodrigues dos Santos vai recandidatar-se à liderança do CDS
Notícias ao Minuto

13:17 - 26/01/22 por Lusa

Política Legislativas

"Eu tenho a certeza absoluta que nas eleições legislativas eu vou receber o presente por estes dois anos de liderança que tenho à frente do CDS, depois disso serei naturalmente recandidato ao próximo congresso e irei vencê-lo e continuar como presidente do partido e multiplicar estes aniversários por mais um bom par de anos, espero eu passados no governo de Portugal", afirmou.

Francisco Rodrigues dos Santos falava aos jornalistas no final de uma visita à Feira dos Carvalhos, em Vila Nova de Gaia (distrito do Porto), no dia em que se passam dois anos desde que foi eleito líder do partido.

Questionado sobre o facto de ter vindo a dizer que fará uma análise e uma reflexão sobre a liderança, mediante o resultado que o partido tiver nas eleições legislativas de domingo, o presidente do CDS-PP sustentou que a sua "análise naturalmente está sempre dependente dos resultados eleitorais".

No entanto, salientou que "é otimista".

"Eu sei que os resultados vão correr bem ao CDS e, nessa medida, os portugueses e o meu partido podem continuar a contar comigo", afirmou.

Francisco Rodrigues dos Santos já tinha anunciado que seria recandidato no congresso que esteve marcado para o final de novembro, mas foi depois cancelado na sequência da situação política e a marcação de eleições legislativas.

Perante a insistência dos jornalistas, Rodrigues dos Santos defendeu que, se é "um otimista por natureza", se em todas as eleições em que conduziu o partido o CDS alcançou "os resultados pretendidos" e se está "convencido, pelo carinho" que recebe dos portugueses nas ruas, que vai "ter um bom resultado eleitoral", então "o certo é que continue como presidente do partido e vença o próximo congresso", que já apontou para depois das eleições legislativas.

"Essa é a expectativa que eu tenho", acrescentou.

Indicando estar "convencido que os portugueses vão compensar o esforço" que tem feito, Rodrigues dos Santos salientou que, "assim sendo", continuará "líder do partido", recusando que haja um tabu.

Instado a clarificar o que considera como um mau resultado no domingo, o líder centrista disse que o pior cenário para o CDS e o país "é não haver uma nova maioria de direita no parlamento".

Questionado também se mantém a legitimidade política, uma vez que o mandato é de dois anos e o CDS teve um congresso marcado mas foi cancelado, Francisco Rodrigues dos Santos questionou se faria sentido "realizar um congresso num dia de semana".

"Hoje é quarta-feira, em vez de estar na feira montávamos aqui umas tendas e fazíamos o congresso e o partido reunia", ironizou.

E defendeu igualmente que "a legitimidade de um líder do CDS não é dada nem pelos jornalistas, nem pelos comentadores na televisão, nem pelas oposições internas, é dada pelos militantes do partido que votaram" em si no congresso, e um "líder só perde a legitimidade quando é substituído por outro".

"Até lá o seu mandato está em vigor e eu sinto-me naturalmente com confiança para liderar esta gente, este partido e mobilizar o eleitorado de direita", salientou.

Leia Também: 'Dossiê da TAP' tem sido um "buraco negro da gestão socialista"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório