Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

"Vitória dos militantes de base". Rio "picado" para vencer legislativas

Rui Rio, que lidera o PSD desde janeiro de 2018, manter-se-á como o 18.º presidente do partido. E, no discurso de vitória, apontou já às legislativas: "Ponto final, parágrafo. Vamos mudar de capítulo, porque no dia 30 de janeiro temos um grande desafio pela frente. Ganhar as eleições".

"Vitória dos militantes de base". Rio "picado" para vencer legislativas

Rui Rio, vencedor das eleições diretas deste sábado no PSD, começou, no seu discurso de vitória, por deixar um 'obrigado' aos militantes sociais-democratas. "Esta vitória, antes de ser a nossa vitória, é a vitória dos militantes de base do PSD", destacou, acrescentando que "aqueles que são os dirigentes do partido nas concelhias têm de se ligar mais aos militantes". 

"Não disse a ninguém que se votasse em mim tinha o lugar A ou B. A única coisa que as pessoas sabem sobre mim é que não sou ingrato", fez questão de salientar, deixando também uma palavra para os portugueses que não são militantes do PSD, mas que se mostraram do seu lado e "foram determinantes para esta vitória".

A Paulo Rangel, reconheceu a "dignidade" na intervenção após a derrota desta noite nas diretas do Partido Social Democrata. 

A vitória é 'saboreada' com "sentido de responsabilidade", afirmou Rui Rio, porque "não quer desiludir ninguém". "Ponto final, parágrafo. Vamos mudar de capítulo, porque no dia 30 de janeiro temos um grande desafio pela frente: ganhar as eleições legislativas", atirou.

"Queremos uma governação com mais rigor e menos facilitismo", vincou também, apontando não ser a hora de revelar o programa eleitoral: "Os portugueses não são menos que os outros europeus". Temos "de ter um Governo e um país com mais espírito reformista", disse, em seguida, com vista a que os "portugueses tenham novos horizontes". 

Como fez ao longo da campanha para as diretas, dirigiu grande parte do seu discurso para o futuro. "Funciono melhor quando me picam e efetivamente estou picado para ganhar as legislativas", salientou.

Sobre possíveis acordos futuros, disse que "vai a eleições democráticas" para "ganhar" e que irá "respeitar essas eleições quer ganhe, quer perca", esperando a mesma postura dos outros partidos.

Legislativas? "Eu vou ganhar"

O líder reeleito do PSD, Rui Rio, assegurou, hoje, que respeitará os resultados das eleições legislativas "quer ganhe, quer perca", deixando aberto o caminho para possíveis acordos de governação. Questionado sobre se irá demitir-se em caso de derrota, limitou-se a responder: "eu vou ganhar".

Sobre a sua posição em relação a Paulo Rangel, reiterou: "Estou sempre disponível para fazer unidade, agora, só se pode fazer unidade com quem quer". "Já aprendi que muitos dizem que querem unidade e depois não querem", acrescentou.

Rui Rio foi reeleito hoje presidente do PSD com 52,43% dos votos, numas eleições diretas que disputou com o eurodeputado Paulo Rangel, que alcançou 47,57% dos votos.

[Notícia atualizada às 23h43]

Leia Também: Diretas no PSD. Candidatura de Paulo Rangel reconhece derrota

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório