Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2021
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 14º

Edição

"Não pode existir um OE que seja mais do mesmo". PAN sem voto definido

Inês Sousa Real falou aos jornalistas, esta quarta-feira, após ter mantido uma reunião com o Governo a propósito do Orçamento do Estado para 2022. "Tem de ser um Orçamento extraordinário e o compromisso do Governo tem também ele de ser extraordinário", vincou.

"Não pode existir um OE que seja mais do mesmo". PAN sem voto definido

À saída da reunião com o Governo a propósito do Orçamento do Estado para 2022, a líder do PAN começou por salientar que "no momento extraordinário que o país vive importa que exista também um Orçamento igualmente extraordinário", o que se "tem de traduzir em investimento, em compromisso" da parte do Executivo. 

No encontro, "e ao longo destas semanas", o PAN disse ter "procurado obter compromissos em relação a um caderno de encargos, um conjunto de medidas" que o partido "considera absolutamente estruturais para dar resposta a esta crise socioeconómica"

Já para que possa haver uma viabilização do Orçamento, "é fundamental que se chegue a um memorando de entendimento que possa, de alguma forma, consolidar este mesmo acolhimento", com Inês Sousa Real a destacar "áreas estruturais": a Saúde, o combate à pobreza (incluindo a energética) e medidas para os transportes públicos. 

"Isso significa que não pode existir um Orçamento que seja mais do mesmo, tem de ser um Orçamento extraordinário e o compromisso do Governo tem também ele de ser extraordinário", vincou.

Questionada sobre um possível acordo de entendimento, a líder do PAN salientou que, "à semelhança do que o partido fez no ano passado, em que foi reduzido a escrito aquilo que eram as medidas consensualizadas entre o PAN e o Governo, estamos disponíveis para essa mesma responsabilidade", ou seja, "para que fique claro aquilo que são as medidas que o Governo está disponível para acolher em sede de especialidade". 

Inês Sousa Real esclareceu ainda que "o sentido de voto do PAN não está definido". "Terá que haver uma maior ambição por parte do Governo e um maior comprometimento naquilo que é transformar este Orçamento num Orçamento que dê resposta ao momento absolutamente complexo que o país vive".

"Só poderá haver viabilização do Orçamento se houver compromisso do Governo em alterar o orçamento e trabalhá-lo em especialidade", afirmou ainda. Assim, caberá ao Governo "aproximar-se" daquilo que são "as reivindicações do PAN".

Inês Sousa Real já tinha afirmado que a decisão quanto ao sentido de voto do partido cabe à Comissão Política Nacional, o órgão máximo de direção política do PAN entre congressos. Esse órgão, onde estão também representados os deputados do partido, vai reunir-se "à partida no fim de semana" para decidir o sentido de voto do PAN na votação do OE2022 na generalidade.

O primeiro processo de debate parlamentar do OE2022 decorre entre 22 e 27 de outubro, dia em que será feita a votação, na generalidade. A votação final global está agendada para 25 de novembro, na Assembleia da República, em Lisboa.

[Notícia atualizada às 14h59]

Leia Também: OE2022. Sentido de voto do PAN "está em aberto" e depende do Governo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório