Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

"45 anos a comer arroz". PSD do Seixal acusado de xenofobia

A Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial recebeu duas denúncias e instaurou um processo de contraordenação ao candidato social-democrata Bruno Vasconcelos.

"45 anos a comer arroz". PSD do Seixal acusado de xenofobia

Os cartazes do PSD do Seixal têm gerado polémica nas redes sociais devido ao ataque ao partido comunista, que está à frente desta cidade da Margem Sul desde 1976.

Num dos cartazes, que surge com uma foto de Che Guevara e outra de Fidel Catro, lê-se: “Enquanto o Seixal for pobre, só mesmo os comunistas podem fumar charutos”.

Já noutro, ilustrado com uma imagem de Estaline, o PSD faz um trocadilho com o nome do ditador que esteve à frente da União Soviética: “Isto stalindo está! É hora dos democratas darem um bigode aos comunistas”.

Contudo, o mais polémico dos cartazes, que traz uma fotografia de Mao Tse Tung, líder da Revolução Chinesa e fundador da República Popular da China, já deu origem a duas denúncias por xenofobia e “discriminação do povo chinês”.

Em causa, de acordo com a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR), a controversa frase “depois de 45 anos a comer arroz”.

“De acordo com as denúncias apresentadas, tal frase seria suscetível de descriminar o povo chinês, sendo assim um ato xenófobo, bem como diminuidora da cultura chinesa. Como tal expressão pretender-se-ia, alegadamente, diminuir ‘também as dificuldades que os chineses passaram durante as várias lutas e guerras que enfrentaram, e que os obrigou a subsistir muito com base no arroz. Fazer da fome de um povo uma piada”, lê-se numa carta da CICDR dirigida ao candidato do PSD do Seixal.

Desta forma, a CICDR decidiu instaurar um processo de contraordenação a Bruno Vasconcelos e apresentar as denúncias à Comissão Nacional de Eleições (CNE), “para os efeitos tidos por convenientes”.

Em reação a esta notificação, num comunicado enviado ao Notícias ao Minuto, o candidato do PSD garante estar “de consciência tranquila” e que irá responder às questões colocadas pela CICDR, nos próximos dias, “com o intuito de aferir a veracidade das duas denúncias”.

Bruno Vasconcelos considera ainda que “estas denúncias foram certamente feitas por pessoas que lidam muito mal com o contraditório e com oposição”.

Quanto ao teor do cartaz, o social-democrata afirma que o intuito do mesmo é “claro”. “Trata-se de um jogo com a expressão ‘outra vez arroz’, já que o Seixal é governando pelos mesmos há 45 anos”, diz, concluindo que “qualquer outra associação, especialmente xenófoba, é da responsabilidade de que assim o quer interpretar”.

Leia Também: PSD do Seixal vai apresentar queixas-crime contra deputado e vereador

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório