Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 26º

Edição

Presidente do Governo dos Açores e líder do Chega asseguram estabilidade

O presidente do Governo Regional dos Açores e o líder do Chega garantiram hoje existir estabilidade governativa, recusando cenários de eleições antecipadas ou receios de moções de censura após a retirada de confiança a um deputado daquele partido.

Presidente do Governo dos Açores e líder do Chega asseguram estabilidade
Notícias ao Minuto

22:03 - 16/07/21 por Lusa

Política Açores

"Não vivo de temores, mas de responsabilidades. Não esperem de mim uma gestão de temores [relativamente a eventual moção de censura]. Não vi especial perturbação parlamentar e conheço o nível de responsabilidade dos envolvidos nestes acordos para a afirmação de um novo paradigma na governação dos Açores", afirmou o presidente do Governo, José Manuel Bolieiro (PSD/CDS-PP/PPM), depois de ser questionado pelos jornalistas no fim de uma reunião com o líder nacional do Chega em Ponta Delgada.

Após o encontro no Palácio de Sant'Ana, sede da presidência do Governo Regional, André Ventura garantiu não ser "vontade do Chega, nem do seu presidente ou da sua organização regional, que haja lugar a eleições antecipadas", até porque "fazer o contrário seria fazer a vontade ao PS regional e nacional".

A Comissão de Ética do Chega vai propor a expulsão de Carlos Furtado, o ex-líder regional açoriano, que perdeu a confiança política do presidente do partido mas não renunciou ao mandato de deputado na Assembleia Legislativa Regional.

A informação foi divulgada pelo Chega na sua página oficial da Internet, onde indica "que a suspensão provisória do militante tem ainda efeitos quanto a todos os mandatos e funções do visado, bem como quanto à sua capacidade eleitoral ativa e passiva", observa ainda o Chega na página da Internet.

PSD, CDS-PP e PPM, que juntos elegeram 26 deputados nas eleições regionais de 2020, assinaram um acordo de governação e um acordo de incidência parlamentar com o Chega, que alcançou dois mandatos no sufrágio.

O PSD assinou ainda um acordo de incidência parlamentar com o Iniciativa Liberal (IL), pelo que, com o apoio dos dois deputados do Chega, a coligação de direita somava 29 deputados na Assembleia Legislativa dos Açores.

Estando em causa um número suficiente para atingir a maioria absoluta (o PS elegeu 25 deputados, o BE dois e o PAN um), o representante da República indigitou José Manuel Bolieiro como presidente do Governo Regional, no dia 07 de novembro de 2020.

A Assembleia Legislativa dos Açores é composta por 57 deputados, sendo que, na atual legislatura, 25 são do PS, 21 do PSD, três do CDS-PP, dois do Chega, dois do PPM, dois do BE, uma da Iniciativa Liberal e um do PAN.

Na quarta-feira, Carlos Furtado revelou que ia passar à condição de independente, sem renunciar ao mandato, como pretendia o líder nacional do partido, que naquele dia lhe retirou a confiança política.

Furtado prometeu manter, como independente, os acordos de incidência parlamentar que o Chega assumiu com o atual governo de coligação PSD, CDS e PPM.

Leia Também: Bolieiro quer fim da "subsidiodependência de mão estendida"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório