Meteorologia

  • 28 OUTUBRO 2020
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 20º

Edição

Bom senso? "É importante ter sensatez para construirmos soluções"

Catarina Martins lembrou as 'linhas vermelhas' do Bloco de Esquerda para dar 'luz verde' ao OE2021 e respondeu ainda ao primeiro-ministro, que defendeu que "o limite para um acordo no Orçamento é o bom senso".

Bom senso? "É importante ter sensatez para construirmos soluções"

Catarina Martins recordou, esta sexta-feira, as 'linhas vermelhas' do Bloco de Esquerda (BE) para viabilizar a proposta do Orçamento do Estado para 2021. "Prevenir vagas de despedimentos, garantir apoio às vítimas da crise, garantir que o SNS funcione e não permitir que a Lone Star continue a levar dinheiros públicos" são "objetivos claros em cima da mesa" do BE.

Em declarações aos jornalistas em S. Miguel, nos Açores, a líder bloquista defendeu que "é essencial que no Orçamento do Estado haja uma resposta de apoio social que permita às pessoas sobreviver a uma pandemia que infelizmente não vai acabar este mês e que vai continuar a provocar perda de rendimento e desemprego durante o próximo ano".

É por isso imperioso que os apoios que estão na forja para o próximo ano "não fiquem mais pequenos do que os que houve este ano porque estas pessoas vão estar sem rendimento mais meses". Esta realidade aplica-se tanto "no turismo, como na cultura, como na restauração, como é noutras áreas cuja atividade depende do encontro entre pessoas e que neste momento está suspensa totalmente ou em parte".

Para Bloco de Esquerda, "estas pessoas não podem ficar sem nada. Não podemos dizer-lhes que o Orçamento do próximo ano não contempla apoio".

Catarina Martins atirou ainda farpas a António Costa, que, em entrevista ao jornal Público, defendeu que "o limite para um acordo no Orçamento é o bom senso". Para a bloquista, "é importante ter sensatez e sentido de responsabilidade para construirmos as soluções para o país".

O próximo ano, considerando a continuidade da pandemia de Covid-19, "é de enorme responsabilidade na resposta ao país, a quem perdeu tudo, ao SNS e à recuperação da economia". E é por isso que "o Bloco de Esquerda coloca objetivos claros em cima da mesa. É preciso ter uma proteção social que se estenda durante o próximo ano, que não deixe as famílias abaixo do limiar da pobreza".

São necessários "apoios fortes à economia" e estes apoios, vincou a líder partidária, "devem ter como contrapartida a garantia de empregos e salários e é preciso impedir despedimentos em empresas que têm acesso a apoios. Há uma corrida para o fundo economia porque se está a privilegiar empresas que não assumem responsabilidades sociais".

Já quanto ao tema do Novo Banco, Catarina Martins reiterou que "ninguém compreenderia que o Parlamento se comprometesse com mais dinheiro para a Lon Star, acionista do Novo Banco, sem antes haver uma auditoria".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório