Meteorologia

  • 27 SETEMBRO 2021
Tempo
20º
MIN 14º MÁX 26º

Edição

"Erros do Governo são culpa da oposição 'lowcost' de Seguro"

Luís Marques Mendes referiu, esta noite, no 'Jornal da Noite' da SIC, que o Governo não está a ser coerente com as medidas que toma, e que o PS tem culpa nas más decisões do executivo de Passos Coelho pois não é firme e "não mete medo". O social democrata defende, ainda, que uma das medidas do Plano B ao Orçamento de Estado deveria ser a aplicação de uma taxa às Parcerias Público-Privadas (PPP).

"Erros do Governo são culpa da oposição 'lowcost' de Seguro"

Para Marques Mendes. o Plano B apresentado pelo Governo na quinta-feira, e que implica o agravamento da Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) e o aumento das contribuições dos beneficiários da ADSE, falha gravemente pela forma como foi comunicada, uma vez que colocou os reformados e os pensionistas em alarme.

Para o advogado, esta forma de comunicação não se trata de incompetência, mas do facto de “os ministros não saberem o que é a vida real”.

Além disso, o social democrata defende que as medidas falham do ponto de vista da coerência, uma vez que “antes do chumbo o Governo dizia que era preciso cortar nas pensões da Caixa Geral de Aposentações porque eram superiores à dos reformados do privado” e agora “quer fazer um corte igual para todos”.

Marques Mendes defende que “este Governo tem vários méritos, pois é determinado corajoso e tem resultados positivos”, mas que falha por ser “muito teimoso” e insistir em aplicar as suas medidas sempre sobre os mesmos.

Para o ex-ministro dos Assuntos Parlamentares as medidas do Governo deveriam passar, por exemplo, por impor uma taxa às Parcerias Público-Privadas ou às empresas de telecomunicações, e através da redução das transferências para as empresas do Estado.Este considera, por isso, que o executivo de Passos Coelho opta sempre pelas “medidas mais fáceis, mas não as mais justas”.

Por fim, teceu duras criticas à oposição liderada por António José Seguro, que por ter medo de perder votos, exerce uma oposição pouco firme.

“A oposição de Seguro é uma oposição ‘lowcost’, que tenta fugir às responsabilidades. Seguro é fraco e frouxo. O Governo devia ter medo da oposição e esta devia ser mais firme para que o Governo não fosse tão abusador”, afirmou.

Marques Mendes relembra que a opção defendida por Seguro para fazer frente à crise é o aumento do défice, o que segundo o comentador é “a pior das opções”.

“Se aumenta o défice, qualquer dia estamos na bancarrota. É a pior das soluções. Além disso é uma medida que a troika não autoriza. Se Seguro quer ser primeiro-ministro, como pode dizer uma coisa que a troika não autoriza?”, questionou o social democrata, concluindo que os “erros do Governos têm muita culpa na fraca oposição”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório