Meteorologia

  • 22 NOVEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 18º

Edição

"Moção de censura não parou o país, mas parece ter congelado o PSD"

Deputado do Bloco de Esquerda diz que "felizmente há vida para além de Rui Rio e de Assunção Cristas.

"Moção de censura não parou o país, mas parece ter congelado o PSD"

O Parlamento discute esta quarta-feira, pelas 15h00, a moção de censura apresentada pelo CDS ao Governo na sexta-feira passada.

Com um chumbo já anunciado, a iniciativa centrista foi encarada pela Esquerda – e também por analistas políticos – como sendo um instrumento que visa, sobretudo, uma disputa eleitoral no terreno de uma Direita fragmentada.

E é também esse o entendimento do deputado do Bloco de Esquerda Luís Monteiro. O bloquista nota que a moção de censura “não parou o país”, contudo, “parece ter congelado o PSD”.

“Não tiveram sequer quórum para reunir o grupo parlamentar e decidir o seu sentido de voto”, escreveu Luís Monteiro, referindo-se ao facto de Fernando Negrão ter cancelado a reunião com deputados do PSD de preparação do debate. 

“Nesse aspeto”, conclui, “a iniciativa cumpre o objetivo: lançar uma guerra eleitoral à direita", rematando:  "Felizmente, há vida para além de Rio e Cristas”.

O CDS justificou a segunda moção de censura ao Governo de Costa com a degradação dos serviços públicos e a crescente contestação social, acusando o primeiro-ministro de "ilusionismo".

Para Cristas, o "Governo está esgotado", estando apenas a gerir o ciclo eleitoral. Esta terça-feira, a líder do CDS acusou os partidos da Esquerda de serem incoerentes com aquilo que dizem "na rua e no Parlamento". "Se fossem coerentes, a moção seria aprovada", disse. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório