Meteorologia

  • 13 JULHO 2024
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 25º

Maria José Morgado destaca "legado inestimável" de ex-PGR para o MP

A procuradora-geral adjunta jubilada Maria José Morgado manifestou hoje "profundo pesar" pela morte de Joana Marques Vidal, a quem atribui "um legado inestimável" no Ministério Público (MP) e "avanços inéditos" no combate à corrupção.

Maria José Morgado destaca "legado inestimável" de ex-PGR para o MP
Notícias ao Minuto

18:48 - 09/07/24 por Lusa

País Joana Marques Vidal

com profundo pesar que tomei conhecimento da notícia. Deixa um legado inestimável ao Ministério Público, de combatividade, dignidade, capacidade de liderança", disse Maria José Morgado à Lusa, em reação à morte da antiga procuradora-geral da República (PGR) Joana Marques Vidal, que hoje morreu, no Porto, aos 68 anos.

A magistrada jubilada do MP recorda o empenho de Marques Vidal enquanto PGR, lembrando que "visitava todos os serviços do MP e conhecia em pormenor a sua situação".

"Foi responsável por grandes avanços, avanços mesmo inéditos, no combate à criminalidade económico-financeira nela incluindo a corrupção e o branqueamento de capitais. Era uma pessoa muito pró-ativa, muito pragmática, com uma grande sensatez e uma grande sensibilidade social. É um legado importantíssimo para o MP, será importante recordá-lo sempre", disse Maria José Morgado.

Joana Marques Vidal foi a primeira mulher a liderar a Procuradoria-Geral da República, exercendo o cargo entre 2012 e 2018 e sendo sucedida por Lucília Gago.

Foi nomeada para a PGR em outubro de 2012 pelo então Presidente da República Cavaco Silva, ocupando o cargo detido até então por Pinto Monteiro.

Nascida em Coimbra em 1955, Joana Marques Vidal licenciou-se em Direito em 1978 e entrou no ano seguinte para a magistratura do Ministério Público.

Leia Também: Aguiar-Branco recorda "percurso cívico" notável de Joana Marques Vidal

Recomendados para si

;
Campo obrigatório