Meteorologia

  • 24 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 29º

IL acusa BE de ser "partido eurosonso" por apoiar a Ucrânia com condições

O cabeça de lista da Iniciativa Liberal às eleições europeias, João Cotrim de Figueiredo, acusou hoje o Bloco de Esquerda de ser um "partido eurosonso" por apoiar a luta da Ucrânia, mas com condições.

IL acusa BE de ser "partido eurosonso" por apoiar a Ucrânia com condições
Notícias ao Minuto

23:50 - 27/05/24 por Lusa

Política Europeias

Num jantar-comício em Lisboa, naquele que é o primeiro dia oficial de campanha para as eleições europeias, o candidato liberal lançou duras críticas à oposição, nomeadamente ao BE, por apoiar a Ucrânia "mas com 'mas'".

"É um partido a que eu chamo eurosonso porque o apoio do BE à luta do povo ucraniano é um dos tais apoios 'mas', ou seja, apoia a Ucrânia, mas era interessante que houvesse uma solução que permitisse a paz com base na neutralidade da Ucrânia", afirmou durante um discurso de cerca de 20 minutos.

Segundo João Cotrim de Figueiredo, não compete ao BE dizer o que compete à Ucrânia, portanto, "isso é uma sonsice".

E acrescentou: "Se é para apoiar a Ucrânia é para apoiar a Ucrânia naquilo que ela quiser. Isto é o que se chama respeito pela soberania".

Além da Ucrânia, o liberal apontou ainda a posição do BE contra as alterações climáticas para o apelidar de "partido eurosonso" porque "por um lado, faz uma sinalização de virtude para antecipar a data da descarbonização total da economia europeia e, por outro, querem voltar a pôr o nuclear na lista das tecnologias poluentes".

"Decidam-se", pediu, dizendo que isso "também é uma coisa sonsa".

As críticas de João Cotrim de Figueiredo não se ficaram por aqui, sublinhando que a postura do BE face às migrações é igualmente "mais uma eurosonsice".

"Descreve aquilo que gostava de fazer relativamente à regularização dos imigrantes ilegais que já cá estão, dos 400 mil que vergonhosamente esperam ainda a regularização, mas o tema não é esse, não é os 400 mil que já cá estão, é os 400 mil que podem vir a seguir, é a política de integração que se vai usar para que haja dignidade para as pessoas que queiram livremente viver para Portugal", frisou.

Na opinião do candidato liberal, não responder a essa pergunta é "mais uma eurosonsice".

As críticas do cabeça de lista liberal estenderam-se aos restantes partidos que, segundo Cotrim de Figueiredo, "têm deixado a baliza aberta para alguns golos fáceis".

Sobre o PS e a sua candidata, Marta Temido, João Cotrim de Figueiredo considerou saber-se "muito pouco" sobre o que ela pensa da Europa porque "fugiu aos debates"

"Alguém que não foi capaz durante o período da pandemia de manter minimamente sob controlo um Sistema Nacional de Saúde, quer-nos convencer que é capaz de na Europa de manter o controlo?", questionou.

Quanto à AD e a Sebastião Bugalho, o cabeça-de-lista da IL confessou "ter saudades do comentador Bugalho" que era "solto, lúcido, irreverente e que, agora, parece todo o contrário".

O liberal acusou ainda Tânger Corrêa, o candidato do Chega às europeias, de aparecer pouco e ter "muitas teorias da conspiração".

[Notícia atualizada às 06h16]

Leia Também: CDU quer que registo de patentes seja obrigatoriamente feito em português

Recomendados para si

;
Campo obrigatório