Meteorologia

  • 23 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 23º

Manif das forças de segurança? Sem reunião com MAI, "não faz sentido"

Porta-voz da plataforma que junta sindicatos da PSP e GNR diz que espera não serem necessários mais protestos.

Manif das forças de segurança? Sem reunião com MAI, "não faz sentido"
Notícias ao Minuto

11:04 - 18/04/24 por Notícias ao Minuto

País PSP

O porta-voz da plataforma que junta sindicatos da PSP e GNR, Bruno Pereira, reagiu hoje à notícia que dá conta de que as forças de segurança lançaram um ultimato ao MAI e marcaram uma manifestação para 25 de abril em frente ao parlamento.

Em declarações à SIC Notícias, esta manhã, o agente da PSP disse que "não faz sentido apoiar qualquer forma de protesto", num momento em que está agendada uma reunião com a ministra da Administração Pública, na próxima segunda-feira.

Bruno Pereira disse temer que a suposta circular sobre a manifestação possa ter sido "redigida por alguém que queira alimentar desfoque" e considerou errado "alimentar a ideia de que vai haver protestos [...] quando nem sequer discutimos nem tivemos reunião com a  ministra".

Em relação ao encontro agendado para a tarde de segunda-feira, o porta-voz diz esperar "que a palavra dada seja honrada e cumprida e que não seja preciso protestos".

Recorde-se que durante a campanha eleitoral, Luís Montenegro prometeu iniciar de imediato um processo de diálogo com sindicatos de professores e forças de segurança.

Bruno Pereira disse que os sindicatos das forças de segurança não pretendem "apresentar qualquer proposta até que seja a ministra a fazê-lo", esclarecendo que não estão à espera que sejam já apresentados aumentos, mas que esperam ouvir propostas quanto "ao tempo e à forma como esta medida possa ser acomodada".

O jornal Expresso noticiou esta quinta-feira que um movimento inorgânico das forças de segurança lançaram um ultimato ao MAI e marcaram manifestação para 25 de abril em frente ao parlamento. Segundo o mesmo jornal, as forças de segurança prometem boicotar a segurança do Rali de Portugal e voltar a usar baixas fraudulentas caso não haja entendimento com o Governo até 10 de maio.

Leia Também: MAI reúne-se com associações da GNR e sindicatos da PSP na 2.ª-feira

Recomendados para si

;
Campo obrigatório