Meteorologia

  • 23 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 24º

Douro vence maioria dos prémios Top 10 Vinhos Portugueses

Os vinhos do Douro venceram a maioria dos prémios do Top 10 Vinhos Portugueses hoje em avaliação por um júri internacional na 18.ª edição do concurso e 20.ª da Essência do Vinho, no Porto, divulgou a organização.

Douro vence maioria dos prémios Top 10 Vinhos Portugueses
Notícias ao Minuto

23:54 - 23/02/24 por Lusa

País Douro

"Os vinhos mais bem classificados pelo júri internacional que participou na 18.ª edição do 'Top 10 Vinhos Portugueses' são maioritariamente da Região Demarcado do Douro", revelou hoje a organização sobre os prémios, que foram entregues na Feitoria Inglesa, no Porto.

De acordo com a Essência do Vinho, o tinto que obteve a pontuação mais elevada foi o Memórias Alves de Sousa, "um lote de diferentes colheitas da década de 2010 (2011, 2012, 2013, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019), que tem por base as vinhas da Gaivosa, Abandonado, Lordelo, Vale da Raposa, Caldas e Oliveirinha, encepamento antigo com médias de idades que, nalguns casos, ultrapassam os cem anos".

Quanto ao branco com as melhores pontuações, a distinção foi para o Coche 2021, da Niepoort, que "alia maioritariamente as castas Rabigato, Códega do Larinho e Arinto, por entre outras variedades plantadas em vinhas com mais de 80 anos, em altitudes que oscilam entre os 600 e os 750 metros".

Já o rosé melhor pontuado foi o H.O. Matrona 2022, da Menin Wine Company, também do Douro, com "um lote de castas como Malvasia Preta, Baga, Touriga Franca, Tinta Amarela, Mourisco e ainda 5% de castas brancas antigas da região (Malvasia Rei, Tamarez, entre outras)".

Por fim, o vinho fortificado melhor classificado foi o Henriques & Henriques Tinta Negra 50 Anos, da Madeira, no "segundo e novo lote trabalhado por Humberto Jardim", referindo a organização que "a cumplicidade dos Henriques com a casta mais plantada na Madeira é grande, sendo de recordar que, após os ataques de oídio e da praga da filoxera, na segunda metade do séc. XIX, replantaram com aquela variedade a maioria da área de vinha que detinham".

"A Tinta Negra salvou, aliás, os viticultores madeirenses pelo elevado rendimento que consegue apresentar (podendo atingir 15 toneladas/hectare)", é ainda assinalado.

Nas restantes classificações, o segundo vinho fortificado melhor classificado foi o vinho do Porto Verídico Very Very Old Tawny 1900, Mily Heritage Wine Million & Dirk Niepoort, o segundo tinto o D. Áurea 2021, Textura Wines, do Dão, e o segundo branco o Vinha dos Aards Criação Velha 1ºs Jeirões 2020, Azores Wine Company, da ilha do Pico, nos Açores.

Quanto aos vinhos tintos, o terceiro foi o Segredo 6 Cuvée Vinhas Velhas 2020, 2CC, de Trás-os-Montes, o quarto o Pintas 2021, Wine & Soul, do Douro, e o quinto o Quinta da Perdonda 1º Talhão (1948) 2018, Quinta da Perdonda -- Wine Tradition, do Dão.

As provas cegas foram realizadas na manhã de quinta-feira no Salão Árabe do Palácio da Bolsa e contaram com 46 jurados de países como Portugal, Brasil, Espanha, Itália, Reino Unido, Suíça, Dinamarca, Suécia, Bélgica, México e África do Sul.

Os jurados avaliaram um total de 50 amostras que resultaram de uma pré-seleção da Revista de Vinhos, tendo por base as pontuações mais altas e os exemplares mais entusiasmantes avaliados em 2023 pelo painel de provadores daquela publicação especializada, explica a organização.

Leia Também: Empresa do Tennessee acusada de usar crianças na limpeza de matadouros

Recomendados para si

;
Campo obrigatório