Meteorologia

  • 14 ABRIL 2024
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 29º

Após casos de sarampo confirmados... O que precisa saber sobre vacinação?

Os critérios para a vacinação são diferentes dependendo do ano em que nasceu e até do seu trabalho. Em Portugal a maioria das pessoas estão vacinadas, mas assim assim, saiba tudo sobre o esquema vacinal (e confira com o seu boletim).

Após casos de sarampo confirmados... O que precisa saber sobre vacinação?
Notícias ao Minuto

17:12 - 26/01/24 por Teresa Banha

País Sarampo

A Direção-Geral da Saúde (DGS) fez, esta sexta-feira, uma publicação na qual dá conta de qual é o esquema de vacinação contra o sarampo recomendando em Portugal.

A publicação surge dias depois de ser conhecido que existem três casos importados da doença em Portugal. Já esta sexta-feira, o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, falou sobre estes casos, esclarecendo que os casos identificados dizem respeito a "portugueses emigrados noutros países e que vieram de férias". Sublinhando que o "desejável" seria a inexistência de casos, o responsável pela pasta da Saúde apontou que "Portugal mantém "os níveis de vacinação elevados".

Apesar de em Portugal se registarem apenas três casos, existe um "aumento alarmante" em território europeu. Por forma a perceber mais sobre a doença, nomeadamente, em relação às vacinas, o Serviço Nacional de Saúde deixa esclarecimentos no site.

Esquema vacinal em crianças

Com menos de 18 anos

São recomendadas duas doses – uma aos 12 meses e outra aos cinco anos.

Maiores de idade

Segundo um Inquérito Serológico Nacional 2015/2016, cerca de 99% da população nascida antes de 1970 tem proteção contra o sarampo.

Ainda assim, o SNS aponta que não é necessária a vacinação das pessoas que nasceram antes de 1970, exceto se houver exposição a casos de sarampo ou se for viajar para países onde existam casos". Nestes casos, deve ser administrada uma dose de VASPR (vacina antissarampo, parotidite e rubéola).

E para quem nasceu depois de 1970?

"As pessoas nascidas depois de 1970, de idade igual ou superior a 18 anos, sem história credível de sarampo, devem ter, pelo menos, uma dose de vacina contra o sarampo, administrada aos 12 meses de idade ou depois", lê-se no SNS.

"Todas as pessoas com menos de 18 anos de idade deverão ter duas doses de vacina contra o sarampo", alerta o SNS.

E os profissionais de saúde?

Já quanto a quem trabalha na área, o SNS recomenda que independentemente do ano de nascimento, "todos os profissionais de saúde sem história credível de sarampo deverão ter duas doses de vacina".

Menor de idade e apenas uma dose da vacina?

"Cerca de 5 a 10% das pessoas vacinadas não respondem adequadamente à 1.ª dose, motivo pelo qual se recomenda uma 2.ª dose da vacina até aos 18 anos de idade", escreve o SNS, clarificando que a 2.ª dose não é um reforço, mas sim uma "oportunidade de desenvolver imunidade/proteção contra a doença e assim de diminuir o número de pessoas suscetíveis (pessoas não vacinadas ou vacinadas incorretamente ou sem história credível de sarampo)".

Após a vacina, quando se começa a ficar protegido?

Começa a estar protegido cerca de duas semanas após a administração da vacina.

Como saber se está vacinado/a?

Para além de poder consultar o seu boletim de vacinas online, caso esteja registado na área pessoal do portal do SNS 24 ou na App SNS 24, pode também recorrer ao seu centro de saúde.

"Se não for possível consultar o seu boletim de vacinas, ser-lhe-ão administradas as vacinas de acordo com a sua idade, não havendo contraindicação ou aumento dos efeitos adversos se lhe forem administradas novas doses, mesmo já tendo sido vacinado ou ter tido a doença", explica ainda o SNS.

Na mesma página dedicada a esta doença, o SNS aponta ainda que "não há razões para temer uma grande epidemia de sarampo", dado que a maioria das pessoas está protegida – e é explicado o porquê: "A maioria das pessoas nascidas antes de 1970 está protegida por ter tido a doença" e, por outro lado, "a maioria das pessoas nascidas depois de 1970 está protegida por ter sido vacinada".

"No entanto, durante um surto, algumas pessoas vacinadas poderão contrair a doença, por diminuição, ao longo do tempo, da proteção conferida pela vacina. O sarampo em pessoas já vacinadas é mais ligeiro, a probabilidade de haver complicações clínicas é muito menor e o doente é menos contagioso para os outros", rematam.

Leia Também: Tem sintomas ou esteve com alguém com Sarampo? SNS diz-lhe o que fazer

Recomendados para si

;
Campo obrigatório