Meteorologia

  • 13 JULHO 2024
Tempo
25º
MIN 15º MÁX 25º

Urgências? Em Portugal, "80% a 90% das pessoas que lá vão não precisam"

O médico e dirigente socialista Álvaro Beleza considerou que "as pessoas vão em demasia às urgências", e que "80% a 90% das pessoas que lá vão não precisam de ir ao hospital".

Urgências? Em Portugal, "80% a 90% das pessoas que lá vão não precisam"
Notícias ao Minuto

09:06 - 28/12/23 por Notícias ao Minuto

País Urgências

O médico, dirigente socialista e presidente da SEDES Álvaro Beleza considerou, na noite de quarta-feira, que "Portugal tem um afluxo exagerado de pessoas às urgências por coisas menores".

Na CNN Portugal, Beleza recordou que este é um problema que já existe "desde que era estudante de medicina".

"Estamos a viver uma situação deste pico da gripe A, em Espanha também. Temos um problema em Portugal, desde os anos 1990", continuou, argumentando que "as pessoas vão em demasia à urgência", sendo que "80% a 90% das pessoas que lá vão não precisam de ir ao hospital".

Álvaro Beleza considerou, então, tratar-se de "uma questão cultural", que "tem que se resolver com tempo", e que "não se resolve de um dia para o outro". O médico de profissão argumentou, ainda, que este é um problema relacionado com a "literacia" e a "educação" das pessoas.

Dirigindo-se ao seu colega de programa na CNN Portugal, o antigo ministro social-democrata da Educação Miguel Relvas, defendeu, para ilustrar o argumento: "O Miguel, quando tem uma gripe ou algo qualquer, toma um benuron, um brufen, vai à farmácia, não vai às urgências".

Mais, Álvaro Beleza quis falar do exemplo de Espanha, onde "há um pico de gripe". "Se forem fazer uma reportagem a qualquer serviço de urgência em Madrid, não tem a quantidade de pessoas que em Lisboa", e "têm o mesmo pico de gripe". Porquê? Porque "as pessoas estão habituadas a ir ao seu médico, à sua farmácia, porque estão acostumados a fazer automedicação, porque estamos a falar de uma questão simples".

Em contrapartida, as urgências e o hospital "são para situações agudas". "E para essas, os hospitais, o SNS responde", assegurou Álvaro Beleza.

Leia Também: IL fora de Aliança Democrática é "erro infantil", diz Álvaro Beleza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório