Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 26º

Santos Silva saúda lusodescendente eleita para o parlamento do Luxemburgo

Liz Braz, de 27 anos, que concorreu pelo Partido Socialista Operário Luxemburguês (LSAP, na sigla original), é filha do português Félix Braz, antigo ministro da Justiça e vice-primeiro-ministro do Grão-Ducado.

Santos Silva saúda lusodescendente eleita para o parlamento do Luxemburgo
Notícias ao Minuto

15:35 - 09/10/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

País Santos Silva

O presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, saudou, esta segunda-feira, a lusodescendente Liz Braz, que foi ontem eleita para a Câmara dos Deputados do Luxemburgo.

Numa nota divulgada na rede social X (antigo Twitter), o líder do Parlamento considerou que a eleição de Liz Braz marca "mais uma etapa na afirmação da comunidade lusodescendente".

"Felicito todos os deputados e deputadas eleitas, ontem, para a Câmara de Deputados do Luxemburgo, tão próximo de Portugal. E, com especial emoção, saúdo a eleição da deputada Liz Braz, filha de pai português, que assim marca mais uma etapa na afirmação da comunidade lusodescendente", escreveu Santos Silva.

Note-se que também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já havia felicitado Liz Braz.

Liz Braz, de 27 anos, que concorreu pelo Partido Socialista Operário Luxemburguês (LSAP, na sigla original), "é filha do português Félix Braz, antigo ministro da Justiça e vice-primeiro-ministro do Grão-Ducado, afastado da política por razões de saúde", recordou Marcelo, na mensagem publicada no portal da Presidência da República na Internet.

Em junho de 2020, o ex-ministro Félix Braz, com origens em Castro Marim, no Algarve, e nascido na localidade luxemburguesa de Differdange, manifestou a vontade de regressar à vida pública após um ataque cardíaco que o deixou em coma e obrigou a oito meses de hospitalização.

Segundo informação oficial, Félix Braz, 55 anos, foi vítima de um ataque cardíaco em 22 de agosto, tendo sido hospitalizado na Bélgica, onde, segundo a imprensa local, se encontrava a passar férias.

Em setembro de 2019, e tendo em conta o estado de saúde de Félix Braz, o governo luxemburguês acabou por substituí-lo.

O Partido Popular Social Cristão (CSV, na sigla original) venceu no domingo as eleições gerais no Luxemburgo, conquistando 21 dos 60 deputados no parlamento, bem à frente dos liberais (14), socialistas (11) e Verdes (quatro), forças da coligação governamental cessante.

O CVS liderado por Luc Frieden repete-se como o mais votado, tal como nas eleições de 2014 e 2018, embora os seus resultados no escrutínio de domingo o coloquem agora em condições de poder formar Governo.

Além dos democratas-cristãos do CSV, os populistas de direita da ADR são os outros grandes vencedores da noite eleitoral, com cinco eleitos, quase o dobro das eleições anteriores e com a vantagem de poderem formar o seu grupo parlamentar.

Os restantes assentos no parlamento serão distribuídos pelo Partido Pirata, que se afirma "nem de esquerda, nem de direita", com três deputados, e dois para a força política de esquerda Déi Lénk.

Pelo menos 30 lusodescendentes estiveram entre os candidatos nas várias listas partidárias concorrentes às legislativas no Luxemburgo, segundo a emissora Rádio Latina.

Segundo os resultados das eleições, a coligação que junta liberais, socialistas e ecologistas conseguiu obter 29 deputados, ou seja, perdeu dois dos 31 alcançados em 2018.

De acordo com a Rádio Latina, Liz Braz, que foi eleita pelo círculo eleitoral do sul, obteve 24.284 votos.

Num país onde o voto é obrigatório e a possibilidade de o eleitor poder votar antecipadamente está largamente disseminada, nas legislativas, a legislação eleitoral luxemburguesa apenas permite o voto aos cidadãos nacionais, embora admita a dupla cidadania.

Ainda segundo a Rádio Latina, em 01 de janeiro deste ano, estavam registados 18.055 luxemburgueses que também têm a nacionalidade portuguesa.

O Luxemburgo tem cerca de 640 mil habitantes e cerca de 15% é de origem portuguesa.

Leia Também: Lusodescendente eleita para o parlamento do Luxemburgo. Marcelo já reagiu

Recomendados para si

;
Campo obrigatório