Meteorologia

  • 28 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 27º

Lusodescendente eleita para o parlamento do Luxemburgo. Marcelo já reagiu

Liz Braz é filha do antigo ministro da Justiça e vice-primeiro-ministro do Grão Ducado Félix Braz, que se afastou da vida política por motivos de saúde.

Lusodescendente eleita para o parlamento do Luxemburgo. Marcelo já reagiu
Notícias ao Minuto

12:50 - 09/10/23 por Notícias ao Minuto e Lusa

País Luxemburgo

A lusodescendente Liz Braz, de 27 anos, foi no domingo eleita para a Câmara dos Deputados do Luxemburgo. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já felicitou a deputada através de uma nota publicada no site oficial da presidência. 

Liz Braz é filha do antigo ministro da Justiça e vice-primeiro-ministro do Grão Ducado Félix Braz, que se afastou da vida política por motivos de saúde.

"Esta eleição vem confirmar a crescente importância da Comunidade Portuguesa e lusodescendente no Luxemburgo", pode ler-se na nota publicada. 

Em junho de 2020, o ex-ministro Félix Braz, com origens em Castro Marim, no Algarve, e nascido na localidade luxemburguesa de Differdange, manifestou a vontade de regressar à vida pública após um ataque cardíaco que o deixou em coma e obrigou a oito meses de hospitalização.

Segundo informação oficial, Félix Braz, 55 anos, foi vítima de um ataque cardíaco em 22 de agosto, tendo sido hospitalizado na Bélgica, onde, segundo a imprensa local, se encontrava a passar férias.

Em setembro de 2019, e tendo em conta o estado de saúde de Félix Braz, o Governo luxemburguês acabou por substituí-lo.

O Partido Popular Social Cristão (CSV, na sigla original) venceu no domingo as eleições gerais no Luxemburgo, conquistando 21 dos 60 deputados no parlamento, bem à frente dos liberais (14), socialistas (11) e Verdes (quatro), forças da coligação governamental cessante.

O CVS liderado por Luc Frieden repete-se como o mais votado, tal como nas eleições de 2014 e 2018, embora os seus resultados no escrutínio de domingo o coloquem agora em condições de poder formar Governo.

Além dos democratas-cristãos do CSV, os populistas de direita da ADR são os outros grandes vencedores da noite eleitoral, com cinco eleitos, quase o dobro das eleições anteriores e com a vantagem de poderem formar o seu grupo parlamentar.

Os restantes assentos no parlamento serão distribuídos pelo Partido Pirata, que se afirma "nem de esquerda, nem de direita", com três deputados, e dois para a força política de esquerda Déi Lénk.

Pelo menos 30 lusodescendentes estiveram entre os candidatos nas várias listas partidárias concorrentes às legislativas no Luxemburgo, segundo a emissora Rádio Latina.

Segundo os resultados das eleições, a coligação que junta liberais, socialistas e ecologistas conseguiu obter 29 deputados, ou seja, perdeu dois dos 31 alcançados em 2018.

De acordo com a Rádio Latina, Liz Braz, que foi eleita pelo círculo eleitoral do sul, obteve 24.284 votos.

Num país onde o voto é obrigatório e a possibilidade de o eleitor poder votar antecipadamente está largamente disseminada, nas legislativas, a legislação eleitoral luxemburguesa apenas permite o voto aos cidadãos nacionais, embora admita a dupla cidadania.

Ainda segundo a Rádio Latina, em 01 de janeiro deste ano, estavam registados 18.055 luxemburgueses que também têm a nacionalidade portuguesa.

O Luxemburgo tem cerca de 640 mil habitantes e cerca de 15% é de origem portuguesa.

Leia Também: Conselho da Europa: Portugueses são dos mais discriminados no Luxemburgo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório