Meteorologia

  • 02 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

Cardeal Américo Aguiar diz que Igreja não pode ser "barreira de alguém"

O bispo Américo Aguiar disse hoje, na primeira missa que celebrou após a sua investidura como cardeal pelo Papa Francisco, que a Igreja não pode ter a tentação de ser barreira de alguém.

Cardeal Américo Aguiar diz que Igreja não pode ser "barreira de alguém"
Notícias ao Minuto

18:23 - 30/09/23 por Lusa

País Américo Aguiar

"Não temos o direito de impedir que qualquer irmão ou irmã aceda a Cristo vivo. Não podemos ter a tentação de ser barreira de acesso de alguém a Cristo vivo", afirmou Américo Aguiar, na Igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma.

Reconhecendo existirem obstáculos para "impedir que os irmãos e as irmãs acedam ao que é mais importante", o futuro bispo de Setúbal criticou quem se acha no direito de ser juiz "daquilo que é o coração" das pessoas.

"É neste caminho que eu quero ajudar naquilo que me é possível o nosso querido Papa Francisco, neste caminho da ternura, de todos, todos, todos. Não é inaugurar um tempo novo, porque sempre foi assim, o Evangelho sempre foi para todos", sustentou, numa celebração onde estiveram centenas de pessoas, entre entidades civis e políticas, incluindo o embaixador de Portugal junto da Santa Sé, representantes do Presidente da República e do Governo e autarcas.

A Santo António, seja da Igreja dos Portugueses, de Lisboa ou de Pádua, Américo Aguiar pediu que o ajude a que nunca as suas palavras, gestos ou presença sejam "para alguém motivo de impedimento de chegar a Cristo vivo".

Antes, considerou que a assembleia resume a sua vida, "a parte curricular e a parte de 'cadastro'", o que arrancou risos da parte da assistência, que se repetiu noutros momentos, para acrescentar que "isto é uma espécie de sinodalidade", numa alusão ao tema da Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, que arranca na quarta-feira, na Cidade do Vaticano.

A missa foi concelebrada por dezenas de sacerdotes e quatro bispos, incluindo o patriarca de Lisboa, Rui Valério, e o cardeal Manuel Clemente, patriarca emérito de Lisboa, titular da Igreja de Santo António dos Portugueses, a quem Américo Aguiar dirigiu uma "palavra especial" no início da celebração.

A expressão "todos, todos, todos", que o novo cardeal tem usado frequentemente e hoje repetiu na missa a que presidiu, foi pronunciada pela Papa Francisco na deslocação a Lisboa, em agosto, para presidir à Jornada Mundial da Juventude (JMJ), quando também se deslocou ao Santuário de Fátima, para rezar pela paz.

O novo titular da Diocese de Setúbal, até agora bispo auxiliar de Lisboa, foi hoje investido cardeal pelo Papa Francisco, tornando-se no 47.º cardeal português da História.

Américo Aguiar recebeu o anel e barrete cardinalícios, assim como a bula de criação, tendo-lhe sido atribuído o título da Igreja de Santo António de Pádua na Via Merulana, em Roma.

O bispo, presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 e coordenador geral da organização da visita, em agosto, do Papa a Portugal, foi um dos 21 novos cardeais (18 dos quais eleitores) anunciados por Francisco em 09 de julho.

Leia Também: Santos Silva deseja "os maiores êxitos" ao novo cardeal D. Américo Aguiar

Recomendados para si

;
Campo obrigatório