Meteorologia

  • 29 MAIO 2024
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 29º

Conselho de Estado? "Quem me conhece sabe que não sou dado a amuos"

António Costa respondeu às acusações de que terá ficado calado durante a última reunião do Conselho de Estado, que aconteceu na terça-feira.

Conselho de Estado? "Quem me conhece sabe que não sou dado a amuos"

"Quem me conhece, sabe que não sou dado a amuos. O Dr. Luís Montenegro também devia respeitar as instituições e o funcionamento das instituições. Como ele próprio disse, há dois dias, o líder da oposição é ele. O debate político que tenho a fazer é com ele, no Parlamento."

Assim respondeu o primeiro-ministro António Costa às perguntas dos jornalistas, esta quarta-feira, quando confrontado com as acusações de que terá ficado calado durante a reunião do Conselho de Estado, na passada terça-feira. O líder do Partido Social-Democrata acusou-o, ainda, de ter "amuado" durante a reunião presidida pelo Presidente da República.

"Nunca ninguém me ouvirá falar sobre o que acontece no Conselho de Estado, por uma razão fundamental: Temos de respeitar as instituições. O Conselho de Estado assenta numa regra fundamental de confidencialidade. Quem nas últimas reuniões tem decidido fazer fugas seletivas, ou contado mentiras sobre o que acontece no Conselho de Estado, presta um péssimo serviço às instituições, à democracia e ao Conselho de Estado", atirou ainda António Costa, após participar na inauguração do supercomputador Deucalion, em Guimarães.

Farpas em direção às alegadas fugas de informação sobre o teor destas reuniões, cujas atas, relembrou o chefe do Governo, só poderão ser consultadas 30 anos após o fim do mandato do Presidente da República, ou seja, por volta de 2056 (assumindo que o atual mandato de Marcelo Rebelo de Sousa chegará ao fim em 2026).

O primeiro-ministro disse que comprometer o "caráter de confidencialidade" destas reuniões é "um mau contributo". Sobre se é, então, mentira que se manteve calado durante a reunião de terça-feira, conforme avançaram vários meios de comunicação, António Costa foi premonitório: "Esperemos por 2056. Não vou nem dizer sim nem vou dizer não, pelo seguinte: nós devemos respeitar as instituições. Por mim procuro respeitá-las, procuro ser bastante escrupuloso no cumprimento das regras institucionais, e quem não o faz, acho que presta um mau serviço ao país."

Montenegro acusou 'amuo' de Costa no Conselho de Estado

Na terça-feira, o líder do Partido Social-Democrata criticou a alegada posição do primeiro-ministro durante a reunião do Conselho de Estado, nesse mesmo dia.

"Houve um Conselho de Estado e parece que houve um primeiro-ministro amuado. Houve um primeiro-ministro que não prestou explicações aos conselheiros de Estado, ao senhor Presidente da República, não prestou explicações sobre a situação económica, sobre a situação social, sobre aquilo que é a sua responsabilidade", disse Luís Montenegro aos militantes social-democratas, numa visita ao distrito de Portalegre.

Nesse mesmo discurso, Luís Montenegro rematou ainda: "Não sei se tenciona andar a vitimizar-se à conta desse conflito que está a criar com o Presidente da República para ver se tem algum ganho político, partidário, eleitoral... desconfio que deva ser qualquer coisa como isso."

[Notícia atualizada às 17h15]

Leia Também: Montenegro questiona sentido institucional de Costa e critica "amuo"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório