Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
14º
MIN 8º MÁX 16º

'Luz verde' a medicamento? "Só faltava que fosse ministro a pressionar"

Em causa está a autorização dada pelo Infarmed ao pembrolizumab para o uso no tratamento do cancro da mama triplo negativo metastático.

'Luz verde' a medicamento? "Só faltava que fosse ministro a pressionar"
Notícias ao Minuto

11:29 - 28/06/23 por Notícias ao Minuto

País Cancro da mama

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, falou, esta quarta-feira, sobre a ‘luz verde’ dada pelo Infarmed para a utilização do medicamento pembrolizumab no cancro da mama triplo negativo metastático – algo que tinha vindo há muito a ser pedido, nomeadamente, após duas petições que passaram pelo Parlamento.

Questionado pelo deputado do Chega Pedro Frazão sobre se esta autorização estava relacionada com a pressão política ou com a avaliação técnica, Pizarro foi assertivo.

“Temos um sistema que é um sistema de rigor científico e absoluto humanismo no SNS. Só faltava que fosse o ministro a pressionar o Infarmed”, respondeu, acrescentando que se houvesse alguma dúvida sobre essa matéria, deveriam ser chamados os técnicos ao Parlamento. 

“O Governo só trata de um tema, um bastante difícil: o financiamento”, notou, classificando este como tema “fundador” do SNS. “É garantir a todos o acesso aos medicamentos”, atirou.

O responsável pela pasta da Saúde apontou ainda quanto custou o medicamento em questão, o pembrolizumab, no último biénio, que terminou em janeiro do ano passado.

“Não digo isto com tristeza, digo isto apenas para que saibam a grandeza dos números – no último biénio os contribuintes portugueses pagaram 84,5 milhões de euros à multinacional que o vende”, explicou.

Dirigindo-se ao deputado em questão, Pizarro disse: “Não estou a chorar esse dinheiro. Foi dinheiro investido na saúde das pessoas. Embora não deixe de achar que há qualquer coisa de estranho na saúde, quando se vendem 50 mil unidades de um produto ele custe 100, e quando se vendem 150 mil unidades desse produto ele só baixe o preço para 99. O capitalismo das multinacionais dos medicamentos é um capitalismo predatório e muito estranho”, acusou.

Pizarro esclareceu então que não há agora dúvidas sobre um conjunto de indicações – “aprovadas muito recentemente pela EMA” [European Medicines Agency].

Leia Também: Infarmed autoriza medicamento para cancro da mama triplo negativo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório