Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 8º MÁX 16º

"Não os esquecemos". Costa evoca "memória dos que partiram" em Pedrógão

Chefe do Governo esteve na terça-feira em Pedrógão, para recordar as "vítimas dos trágicos incêndios de 2017".

"Não os esquecemos". Costa evoca "memória dos que partiram" em Pedrógão
Notícias ao Minuto

08:51 - 28/06/23 por Ema Gil Pires

País António Costa

O primeiro-ministro, António Costa, esteve na terça-feira em Pedrógão, para "evocar a memória dos que partiram, vítimas dos trágicos incêndios de 2017", destacou o próprio numa série de publicações na rede social Twitter. 

"A melhor homenagem que podemos prestar aos que partiram, aos seus familiares e amigos que permanecem com a dor da saudade, é dizer que não os esquecemos, mas, sobretudo, agirmos sabendo que o risco [de tragédias relacionadas com incêndios] existe e que tem de se trabalhar todos os dias para o enfrentar", pode ler-se num dos 'posts' veiculados ao final da noite de terça-feira.

Nas palavras de António Costa, o momento de homenagem que teve lugar ontem em Pedrógão - e que contou também com a presença de outros membros do Governo e do Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa - foi um "sinal de respeito para com os familiares e respeito também pelos que, tendo sobrevivido, carregam consigo as marcas da tragédia".

O líder do Governo fez ainda uma referência ao memorial concebido pelo arquiteto Eduardo Souto Mouro, e que foi ontem inaugurado, dizendo que "representa um grito de alerta de que o passado corre sempre o risco de se repetir".

E lembrou, ainda, o "dever de fazer renascer a consciência coletiva de que, mesmo os eventos extraordinários e excecionais", "impõem a obrigação permanente, diária e coletiva, de saber que o risco existe e que o devemos prevenir" - fazendo clara alusão ao perigo de incêndio rural, num verão que, desde os primeiros dias, tem sido muito quente.

Recorde-se que a inauguração do memorial em homenagem às vítimas dos incêndios de 2017, em Pedrógão Grande - que mataram 66 pessoas e feriram outras 253 (sete delas gravemente) - decorreu na tarde de terça-feira.

Durante a manhã, António Costa quis participar em várias ações de prevenção florestal - em Mação, Sardoal e Pedrógão Grande. Já o chefe de Estado disse ter conseguido "mexer" nas agendas da sua deslocação a Itália e da inauguração do monumento para que conseguisse estar presente neste momento de homenagem, por considerar ser "importante".

Isto depois de, numa nota publicada no sábado no site da Presidência da República, ter já sido avançado que Marcelo Rebelo de Sousa já tinha feito uma visita ao memorial, logo após ter dito que lhe seria impossível voltar de Itália - onde participou no XVI encontro da organização empresarial COTEC Europa - a tempo de estar presente na inauguração.

Leia Também: Incêndios? Passado pode repetir-se, alerta primeiro-ministro

Recomendados para si

;
Campo obrigatório