Meteorologia

  • 10 JUNHO 2023
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 24º

"Estamos sempre interessados em estreitar o relacionamento com o Gabão"

O ministro dos Negócios Estrangeiros mostrou-se hoje disponível para "estreitar o relacionamento" com o Gabão no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o primeiro passo que permite obter o estatuto de país observador.

"Estamos sempre interessados em estreitar o relacionamento com o Gabão"

João Gomes Cravinho, falava aos jornalistas à margem da 16.ª Reunião Extraordinária do Conselho de Ministros da CPLP reunião realizada hoje em Luanda, comentando a pretensão do Gabão aderir à comunidade.

O ministro português deu conta que, apesar do Gabão não constar ainda do grupo de mais de 30 países associados com estatuto de observadores, a comunidade está interessada em estreitar o relacionamento.

"Gabão ainda não é um deles (do grupo de países observadores), portanto, o natural é que se dê esse passo e estaremos sempre disponíveis para um diálogo com o Gabão que é um país geograficamente muito próximo de São Tomé e também não está longe de Angola", argumentou.

"Estamos sempre interessados em estreitar o relacionamento com o Gabão e o primeiro passo é o estatuto de países associado a observador", reforçou João Gomes Cravinho, que chefiou a delegação portuguesa ao encontro.

O ministro saudou também o espírito de entendimento na reunião e assinalou a importância da "consolidação" do pilar económico, referindo que o encontro decorreu em ambiente fraterno e de abertura em todas as áreas. 

"Correu (a reunião) num tom muito amigo, fraterno, em que todas as diferentes matérias foram tratadas com a abertura e com a procura de consenso que caracterizam a CPLP e que foi possível chegar um entendimento a todas as áreas através da boa-fé e do espírito que caracteriza da CPLP", disse o governante português. 

Os ministros das Relações Exteriores e Negócios Estrangeiros da CPLP aprovaram, neste encontro, as resoluções sobre a revisão dos estatutos da organização e sobre a alteração do regulamento dos observadores associados. 

A resolução sobre a criação da direção de assuntos económicos e empresariais no secretariado executivo da CPLP também foi aprovada nesta reunião. 

Segundo João Gomes Cravinho, a alteração dos estatutos da CPLP surge pelo facto do vigente ter "perdido a atualidade, ao longo do tempo", referindo que foram acrescentadas novas áreas de trabalho à CPLP. 

A presidência angolana, "por exemplo, foi muito importante para a consolidação de um quarto pilar da CPLP que o pilar da cooperação económica, isso tem de ser refletido nos estatutos", notou. 

"E ao longo da manhã foi possível debater também a temática dos mares e também partilhar aquilo que são as principais dinâmicas e desafios de cada um dos nossos países na nossa realidade nacional e realidade regional que divergem, naturalmente, estamos em 4 continentes e esta partilha é uma forma de enriquecer o nosso conhecimento mútuo", realçou. 

"O Papel dos Mares e Oceanos na Projeção Internacional da CPLP" foi o tema desta da 16ª Reunião Extraordinária do Conselho de Ministros da CPLP, orientada pelo seu presidente em exercício e ministro angolano das Relações Exteriores, Téte António. 

O secretário executivo da organização, Zacarias da Costa, também esteve na mesa da presidência deste encontro. 

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os nove estados-membros da CPLP e todos participaram presencialmente na reunião de Luanda. 

Leia Também: Gomes Cravinho reconhece que país está "longe da plena igualdade"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório